Artigos com o tema:

Saúde Mental

Resumo: A Doença de Alzheimer é um dos principais tipos de demência, que afeta a população idosa. É caracterizada como uma doença neurodegenerativa e crônica que resulta na diminuição das atividades cognitivas em especial a memória. Com a progressão da doença, o portador torna-se dependente dos cuidados diários de outras pessoas, principalmente de cuidadores familiares, gerando uma sobrecarga de estresse para ambos. O objetivo do artigo é abordar a Doença de Alzheimer e descrever a assistência do cuidador. No presente trabalho é discutir sobre as mudanças sofridas pelos pacientes com Alzheimer ao longo do curso da doença, assim como a capacidade psicoeducacional de seus cuidadores. Foi realizado uma revisão da literatura com base em artigos científicos e sites eletrônicos.

Palavras-chave: Doença de Alzheimer, Familiar. Cuidador, Mudanças psicossociais.

Leia mais: A Doença de Alzheimer e o Impacto sobre o Cuidador/Família

Resumo: O crack é uma droga de abuso que faz muitas vítimas atualmente.  Muitas das vezes essa procura para consumo está associada a uma predisposição do indivíduo a ter um amadurecimento psicológico indevido. Trata-se de um uma revisão de 13 artigos científicos retirados da base de dados do Scielo,  Unifra,  Pepsic, Unifor, compreendidos em um período entre 2008 e 2015. Em que foram abordados os efeitos do crack, a tendência psicológica dos indivíduos virem a ser dependentes, as formas como a psicanálise pode ser útil no tratamento dos viciados, como o uso da droga pode influenciar no aparecimento de afecções patologicas e psicológicas. O material analisado foi capaz de prover subsídios necessários acerca da importância das interposições psicológicas e de que maneira o processo pode interferir na metodologia terapêutica dos pacientes.

Palavras-chave: Crack, Psicanálise, Medicina, Fissura, Psicologia.

Leia mais: O Crack sob as Perspectivas Médica e Psicanalítica



Resumo: O filme Alice no país das maravilhas, dirigido por Tim Burton (2010), nos proporciona uma reflexão a respeito da nossa sanidade enquanto indivíduos inseridos em uma sociedade com normas e padrões já estabelecidos de como o sujeito deve ser. Nesta perspectiva, fizemos uma revisão bibliográfica e a relacionamos ao contexto do filme. Essa pesquisa se deu no sentido de compreender a loucura ao longo da história, assim como seus significados e o tratamento que lhes eram prestados em cada um dos seus três principais momentos, como liberdade e verdade, no grande internamento e após a revolução francesa. Verificamos que mesmo, nos dias atuais, tanto loucura como sanidade possuem vários sentidos, utilizamos alguns personagens do filme para ilustrar alguns destes significados. E levando em consideração que a psicologia trabalha para a promoção de saúde, autoconhecimento e crescimento psicológico do indivíduo, e que no filme Alice faz uma viagem ao seu mundo interno através de um sonho, destacamos três das principais teorias da personalidade, a psicanálise, a psicologia analítica e a Gestalt-terapia, e os seus conceitos de crescimento psicológico, e fizemos uma relação com a jornada de Alice no "mundo subterrâneo". Por fim, identificamos aspectos saudáveis e patológicos da sanidade e da loucura, a fim de identificar os limites entre a loucura sã e a sanidade patológica.

Palavras-chave: Crescimento psicológico, Autoconhecimento, Alienação, Normas sociais, Autenticidade.

Leia mais: Alice no País das Maravilhas e o Limiar entre Loucura Sã e Sanidade Patológica

Resumo: A necessidade de convívio social e triunfo no modelo de vida perfeita, da sociedade capitalista do século XXI, força a busca intensa pela perfeição inexistente, tanto no seu acumulo material, quanto nas suas relações do seu meio sociocultural, que por algum motivo ou por sobrecarga de tanta cobrança, por obter sempre o êxito, a falência de suas relações com seu meio, pode lhe colocar na situação de isolamento interno e/ou externo, de estar com o transtorno depressivo. Diante de tal dilema, o doente e seu meio por vezes, tomam conceitos ou decisões equivocadas sobre o transtorno. Buscou-se entender um pouco, as relações com que a sociedade com esse tipo de conceito equivocado percebe e /ou aceita o depressivo, e quais influências a sociedade exerce sobre esse indivíduo com o transtorno depressivo.

Palavras-chave: Depressão, Preconceito, Sociedade.

Leia mais: Depressão: o Preconceito Acerca do Depressivo na  Sociedade Contemporânea

Resumo: O presente artigo discute as relações entre trabalho e saúde-doença dos trabalhadores do sistema prisional. Entende-se que o modo de adoecer de um indivíduo provavelmente está diretamente ligado ao modo de viver deste dentro e fora do ambiente de trabalho, sendo que este contém vários elementos que pode ser a razão para o sofrimento. O sofrimento por sua vez é capaz de desestabilizar a identidade do sujeito, conduzindo para problemas mentais, por isso é comum estes profissionais apresentarem alto grau de stresse e seus reflexos negativos físicos e psíquicos entre outros problemas, em função do dano psicológico e da mudança de convívio.

Palavras-chave: Saúde Mental, Trabalhadores, Psicologia Organizacional, Psicopatologia.

Leia mais: Saúde Mental e Psicopatologias Relacionadas ao Ambiente de Trabalho

A loucura pode ser considerada uma experiência social, já que é encarada de diferentes formas, tanto por grupos sociais como foi no decorrer da história. Na Grécia Antiga, a loucura era considerada uma manifestação divina. Os loucos eram vistos como profetas, porque falavam coisas que o homem comum não entendia. Outros achavam que eles tinham excesso de paixão, sentimento. Circulavam, nessa época, livremente pela cidade.

Leia mais: Abordando a História da Loucura

Resumo: A dependência química está presente na vida de distintas famílias. As relações familiares apresentam uma ampla influência nesse campo da dependência, podendo de tal maneira provocar conflitos que induzem o indivíduo ao uso, quanto retomar e estabelecer vínculos importantes para a sua recuperação. A existência de um usuário de drogas afeta a organização do sistema familiar, interferindo na qualidade do seu convívio. Devido a esse fator, alguns autores citados neste artigo, entre eles Nogueira (2009) informa que mesmo que só um membro da família tenha desenvolvido a dependência química, todos necessitam de tratamento, uma vez que a família adoece junto. Logo, é complicado amparar o dependente, se a família não buscar ajuda e apoio. Meditando nesta realidade, o objetivo desse estudo foi realizar um levantamento bibliográfico sobre a importância da família na recuperação do dependente químico, por meio de artigos científicos publicados sobre o tema a partir das palavras chaves: drogas, dependência química e família. Assim, trata-se de um estudo qualitativo de natureza exploratória. Deste modo, contatou-se que a família é essencial e eficaz para o tratamento do dependente químico, significando de tal modo, o quanto é importante o seu envolvimento nas atividades e no acompanhamento passo a passo do processo. Portanto, a dependência química repercute os usuários e os seus familiares que convivem com os mesmos.

Palavras-chave: Drogas, Dependência Química, Família.

Leia mais: Dependência Química e o Valor dos Familiares na Recuperação

1. Introdução

Tendo em vista que a questão da institucionalização na saúde mental no Brasil começa com a teoria eugenista, que sustentava a ideia de limpeza social, assim como exclusões e falta de conhecimento das famílias, falta de cuidados em Instituições Manicomiais, falta de preparo de discentes, maus tratos físicos e verbais, começa a surgir movimentos em prol de uma Reforma Sanitária no Brasil, em função da reforma realizada pelo psiquiatra Franco Basaglia, que propõe através de uma lei, criada em 13 de maio de 1978, a extinção dos manicômios e a substituição do modelo psiquiátrico por outras modalidades de cuidado e assistência, na Itália.

Leia mais: Institucionalização na Saúde Mental: de que forma o doente mental vem sendo acompanhado pela saúde...