Artigos com o tema:

Psiquiatria

Resumo: Este estudo, que apresenta uma revisão integrativa da literatura científica, consiste na análise da luta do doente mental pela inclusão social, sendo que na década de 70 começou no Brasil, o chamado movimento pela Reforma psiquiátrica, sendo ainda um processo em construção. Contudo, a realidade atual que cerca o doente mental está distante do otimismo pregado pela reforma psiquiátrica.

Palavras-chave: Inclusão social, Doente mental, Reforma psiquiátrica brasileira, Preconceito.

Leia mais: Paciente Psicótico: uma História de Luta pela Inclusão Social

Resumo: A elaboração do presente artigo tem como cunho social apresentar dados obtidos através da aplicação das entrevistas com o público alvo do trabalho de conclusão de curso, elaborado e apresentado como condição para obtenção do grau de Bacharel em Psicologia. A solicitação inicial da entrevista era oportunizar uma visão mais detalhada a respeito do perfil dos usuários do serviço de Saúde Mental no município de Caçador. Tal trabalho teve como relevância social um estudo a respeito dos efeitos que um usuário de benzodiazepínicos pode apresentar com o uso crônico de medicações como diazepam, clonazepam, lorazepam e alprazolam.

Palavras-chave: Transtornos de ansiedade, Benzodiazepínicos, Saúde mental.

Leia mais: Psicologia e Psicofármacos: um Estudo Sobre a Utilização de Psicofármacos e seus Efeitos...



Resumo: Estudo descritivo com dados de pesquisas relacionadas ao uso abusivo de drogas e suas alterações na capacidade cognitiva da memória quanto à retenção, armazenamento e codificação de estímulos. O método adotado nessa pesquisa tem o objetivo de mostrar como o uso prolongado de determinadas drogas psicotrópicas afetam diretamente o cérebro, promove distúrbios neurológicos e reduz a capacidade de memorização e aprendizagem foi através de publicações de alguns autores e pesquisadores. Esse estudo é direcionado a classe de drogas psicotrópicas e na fisiologia humana torna-se bastante visível esses efeitos, pelo aparecimento de determinadas doenças degenerativas do corpo humano. Busca-se explicar de maneira geral o que são e como elas atuam no Sistema Nervoso Central. Desse modo, essas drogas são classificadas de acordo com seus efeitos, consequências, manifestações orgânicas, de comportamentos decorrentes do uso imediato e em longo prazo, diante daquelas mais consumidas.

Palavras-chave: Drogas, Memória, Cérebro.

Leia mais: Efeitos das Drogas Psicotrópicas e suas Consequências Psicofisiológicas sobre a Memória

Resumo: A Organização Mundial de Saúde estabelece que haja uso racional dos medicamentos quando “os pacientes recebem os medicamentos apropriados para sua situação clínica, nas doses que satisfaçam suas necessidades individuais, por um período adequado e ao menor custo possível para eles e sua comunidade” (OMS 2001). Objetivo: Avaliar o uso racional de antidepressivo na rede publica no município de Bom Jesus RS. Método: foi conduzido estudo de delineamento transversal, com amostragem estratificada por conglomerados, representativa da população urbana de Bom Jesus RS. Fizeram parte do estudo pacientes dos serviços de atenção básica em saúde com coleta de dados através de aplicação de questionários, de uma amostra constituída por 100 indivíduos. Resultados: os 100 pacientes estudados se encontraram com idades entre 11 e 72 anos, com média de 45,5(dp12,8). Conforme dados, a amostra caracteriza-se por indivíduos com predomínio do gênero feminino (83%), tendo pequena predominância de um dos postos (57%), maior prevalência de episódio depressivo (66%) e aproximadamente 3/4 de prescrições feitas por clínico geral (76%). Houve certa concentração de indivíduos que referiam estar entre 6 e 24 meses em tratamento, com revisões médicas semestrais em 29% e anuais em 26%. A classe de fármaco mais empregada foi a dos inibidores seletivos de recaptação de serotonina (54%), entretanto entre os tricíclicos é que houve maior discrepância entre a dose recomendada na literatura e o prescrito, havendo uso de subdose e esta mais freqüente em idosos do que adultos. Conclusão: foi encontrada uma população de usuários de sistema municipal de saúde predominantemente feminina, atendida por médico generalista, em tratamentos crônicos, com fármacos adequados para os diagnósticos e quando empregado tricíclicos, frequentemente com subdoses.

Palavras-chave: Antidepressivo. Uso racional de medicação. Depressão.

Leia mais: Uso Racional de Antidepressivo na Rede Pública no Município de Bom Jesus-RS

Resumo: Este artigo traz como objetivo fazer uma retrospectiva do caminhar da reforma psiquiatria e sua relação com a loucura e saúde mental no Brasil, focando o estado do PI especificamente a capital de Teresina. Tecendo uma análise critica dos pensamentos e serviços oferecidos antes da reforma; incluindo pontos positivos e negativos de todo este processo.

Palavras-Chave: Loucura, Reforma Psiquiátrica, CAPS.

Leia mais: O Nascer da Reforma Psiquiátrica

Resumo: Foi realizado um estudo qualitativo com a proposta de verificar e compreender as representações e práticas do profissional de enfermagem no cuidado com pacientes psiquiátricos, conforme os pressupostos da reforma psiquiátrica. Foram entrevistados seis profissionais da equipe de enfermagem que atuam em instituições privadas. Para a coleta de dados foram utilizadas entrevistas semi-estruturadas e registro em diário de campo. Os dados foram analisados e categorizados. As discussões dos resultados foram alicerçadas em autores que discorreram sobre a prática de enfermagem em instituições psiquiátricas em um estudo histórico-social. Os dados evidenciaram que a enfermagem enfrenta dificuldades no âmbito institucional, tais como falta de reconhecimento, remuneração incompatível, carga de trabalho excessiva, falta de investimento, que contribuem para uma indefinição do papel destes profissionais dentro da instituição psiquiátrica. Concluiu-se que, mesmo com dificuldade em definir seu papel na instituição e com desconhecimento teórico da chamada Reforma Psiquiátrica, a equipe de enfermagem atua de acordo com o movimento Antimanicomial e necessita de melhores condições de trabalho, a fim de potencializar a obtenção de sucesso no tratamento e reinserção do paciente psiquiátrico.

Palavras-chaves: Reforma psiquiátrica, enfermagem psiquiátrica, representações sociais.

Leia mais: Representações Sociais e Práticas da Equipe de Enfermagem em Relação ao Cuidado de Pacientes...

Resumo: O Transtorno de Apego Reativo é um grave distúrbio psicológico; a doença é listada no DSM-IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais). Afeta crianças e bebês, e a desordem se desenvolve durante a infância, e não pode ser completamente curada. Antes de prosseguir para encontrar as respostas a respeito de como tratar um transtorno de apego reativo, vamos obter uma visão geral dessa doença em si. 

Descrição geral da doença segundo o DSM-IV: 313.89 Transtorno de Apego Reativo na Infância

Leia mais: Transtorno de Apego Reativo na Infância

Como alguns vários psiquiatras se tornaram cúmplices das mais sinistras ditaduras, utilizando recursos psicofarmacológicos para conter opositores reais e imaginários de regimes autoritários 

“De todas as drogas administradas para impor disciplina, a sulfadiazina era o auge da dor. As pessoas que recebiam injeções dessa substância gemiam, suspiravam com a dor, praguejando contra todos os psiquiatras, contra o poder soviético, praguejando contra tudo o que tinham em seus corações. Se eles lhe torturam e lhe quebram os braços, há uma certa dor e você, de alguma maneira, pode suportá-la. Mas a sulfadiazina é como uma furadeira perfurando o seu corpo, que fica cada vez mais fraco, até que você não agüenta mais. É pior do que tortura porque, em alguns casos, a tortura termina. Mas esse tipo de tortura pode continuar por anos.”

Leia mais: Os Perversos Porões de Uma Psiquiatria Psicótica