Artigos com o tema:

Desenvolvimento Humano

Resumo: Através de histórias fantásticas, as crianças são capazes de se identificar com os personagens, expressar seus sentimentos, angústias e necessidades infantis e resolver conflitos psicológicos de acordo com a fase de desenvolvimento que estão passando. Assim como os contos, as cantigas de ninar trazem à tona questões humanas que todos devem elaborar, como a separação, a morte, o desamparo. Muitos adultos acreditam que os contos de fada são prejudiciais para a criança, pois exigem explicações racionais para tudo o que fazem. Dessa forma, impedem as crianças de lidar com seus próprios medos e ansiedades.

1. Introdução

Quando ouvimos uma história, lemos um livro, uma história em quadrinhos, ou mesmo quando assistimos a um filme ou a uma novela de televisão, nos identificamos com heróis. Isso porque eles nos trazem admirações e sonhos com aventuras e não apenas por acomodar valores (POSTIC, 1993).

Segundo Ressurreição (2007), “a capacidade de simbolizar é fundamental pra a nossa natureza psíquica e emocional, e é um atributo desejável para um desenvolvimento intelectual pleno, saudável e criativo”. A criatividade, a fantasia e a imaginação tornam o ser humano mais autônomo e independente (RADINO, 2003).

Leia mais: Contos de Fada e o Desenvolvimento Infantil

Resumo: Este estudo irá abordar a devolução das crianças no processo de adoção, acentuando de que forma este ato influenciará no desenvolvimento desta criança bem como na sua forma de relacionar-se com o meio em que está inserido. Para tal estudo, tomamos como base o único caso documento sobre o assunto ocorrido em São Luís – MA no ano de 2011. Elencaremos também quais os métodos utilizados pelas autoridades competentes e quais medidas tais órgãos utilizam para lidar com tal evento.  Buscaremos ainda analisar os motivos apresentados pelo casal que decide devolver a criança em questão – aqui chamada ficticiamente de João - e de que forma esta criança lidou com este novo abandono, neste sentido abordaremos também as diferenças entre os dois casais relatados no caso – o primeiro casal que devolve a criança e o segundo que o adota posteriormente.
Palavras-chaves: adoção, abandono, família, criança, desenvolvimento infantil.

Leia mais: A Devolução das Crianças no Processo de Adoção: Análise das consequências para o desenvolvimento...

A palavra “Juventude” é muito conhecida e utilizada em nosso dia-a-dia, porém é uma palavra que, dependendo do contexto, pode encontrar diversos significados e referências. Na maioria das vezes, quando nos referimos a jovem ou a juventude, estamos nos referindo a pessoas de uma determinada faixa etária, por exemplo, a ONU (Organização das Nações Unidas) considera as pessoas jovens com idade de 15 a 24 anos de idade. No Brasil, segundo as diretrizes da Secretaria Nacional de Juventude, jovens são as pessoas de idade entre 15 a 29 anos. Já para Erickson (1976), a juventude apresenta-se como uma fase natural e obrigatória do desenvolvimento humano. Enfim é um período da vida caracterizado pela passagem da adolescência para a vida adulta. Um tempo de formação e afirmação de identidade, definição de projeto de vida pessoal marcado pela escolha profissional e pela busca de emprego como caminho de autonomia econômica. Enfim, um momento em que o jovem se torna protagonista de sua própria história.

Leia mais: O Protagonismo Juvenil como forma de enfrentamento da Violência

Resumo: O presente artigo traz uma perspectiva da luta pela ressocialização de adolescentes que tenham cometido algum tipo de ato infracional, pontuando a relação e a responsabilidade que a sociedade e a família têm com este adolescente e apresentando as medidas socioeducativas como um meio positivo, mas deficitário no que concernem as medidas de internação como causadoras e fomentadoras de uma conduta anti-social daqueles que saem da internação piores do que antes, quando entraram. Com o intuito de esclarecimento, procuraremos trazer uma discussão sobre o tratamento oferecido a estes jovens e o seu desligamento com a instituição, trabalhando este percurso de uma maneira mais satisfatória e positiva para a ressocialização deste adolescente e reconhecendo a responsabilidade que temos de tratar estes “meninos perdidos” com mais seriedade e de forma mais humana.
Palavras-chaves:
Adolescência, família, delinqüência, sociedade e políticas públicas.

Leia mais: O adolescente infrator e a conduta institucional sob a luta pela ressocialização

Entrar no mundo dos adultos – desejado e temido – significa para o adolescente a perda definitiva de sua condição de criança. É o momento crucial na vida do homem e constitui a etapa decisiva de um processo de desprendimento que começou com o nascimento. [...] Neste período flutua entre uma dependência e uma independência extrema, e só a maturidade lhe permitirá, mais tarde, aceitar ser independente dentro de um limite necessário de dependência. (ABERASTURY E KNOBEL. 1981; p. 13)

Leia mais: O Jovem Adolescente e a Escolha Profissional

RESUMO: Esse trabalho trata-se de uma pesquisa aplicada, quantitativa, descritiva e de levantamento que objetivou analisar a influência de jogos eletrônicos violentos no comportamento de adolescentes do sexo masculino entre 15 e 18 anos. De modo mais específico, procurou discriminar quais os jogos mais utilizados por esses adolescentes, monitorar o comportamento desses adolescentes no ambiente escolar juntamente com a equipe pedagógica e debater a ocorrência ou não de influência no comportamento dos adolescentes questionados. Foram entrevistados 20 alunos, entre 15 e 18 anos, estudantes do ensino médio do Colégio Sapiens. Aplicou-se um questionário misto para a realização da análise de dados, que por sua vez foi realizada por meio da elaboração de gráficos, agrupando os dados em duas categorias: categoria A (jogos não violentos) dividida em duas subcategorias e categoria B (jogos violentos) dividida em três subcategorias. Os resultados mostraram que apesar de estudos anteriores determinarem a existência de uma influência dos jogos no comportamento de jovens, durante a pesquisa não observamos essa mudança de comportamento no grupo de sujeitos.
Palavras-chave: Jogos Violentos; Influência; Adolescentes.

Leia mais: A Influência dos Jogos Eletrônicos Violentos nos Adolescentes

Resumo: O presente estudo focaliza a participação dos pais adolescentes no cuidado das crianças em famílias de camadas populares. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, em razão do caráter naturalístico, foi utilizado o método de estudo de caso, com realização de entrevistas semi-estruturadas com dois casais, do sul da Bahia, durante os meses de Agosto à Novembro de 2010. O Objetivo foi perceber como funciona a relação Pai/criança na prática, analisar as representações sociais elaboradas por esse sujeito sobre a sua nova realidade e sobre as mudanças ocorridas na sua vida familiar em razão desse fenômeno, no sentido de aliviar o impacto que a paternidade tem na vida desses meninos. Conclui-se que o fenômeno precisa ser compreendido em um contexto histórico e cultural específico, distinto de sua ocorrência décadas atrás, embora persista a identificação com papéis de gênero tradicionais, os novos pais desejam uma participação mais efetiva na vida dos filhos.
Palavras-Chave: Adolescência; Gravidez; Paternidade;

Leia mais: Gravidez na Adolescência e co-responsabilidade Paterna: Percepção dos Pais frente à Gravidez

Resumo: O objetivo deste estudo é investigar as relações entre a dinâmica familiar e o comportamento anti-social de 12 crianças de uma escola da rede pública municipal de uma cidade do interior do Estado de Rondônia. Utilizando-se de instrumentos que avaliam as práticas educativas usadas pelos pais para com os filhos e a percepção da criança frente ao suporte familiar recebido, o trabalho busca analisar a influência da família no comportamento da criança. Os resultados gerais encontrados apontam para uma correlação entre o comportamento agressivo destas crianças e o ambiente familiar ao qual fazem parte. Assim, o estudo conclui que estas famílias por meio de sua constelação e de suas práticas educativas configuram-se como espaço gerador de modelos agressivos. As considerações finais sinalizam a necessidade de futuros estudos para expandir a compreensão do comportamento agressivo e sua relação com a violência familiar.

Palavras-Chave: Comportamento agressivo; violência familiar; criança; estilos parentais; práticas educativas.

Leia mais: A Influência da Família na Aquisição de Modelos Agressivos pelas Crianças