Artigos com o tema:

Desenvolvimento Humano

Resumo: A presente pesquisa teve como objetivo compreender o olhar do docente em relação à concepção de ensino construtivista. A pesquisa do tipo estudo de caso, com abordagem qualitativa, ocorreu com a participação de três docentes que durante um longo período de tempo, trabalharam a educação construtiva. O instrumento técnico utilizado foi o questionário e os dados coletados foram organizados em temáticas, resultantes de temas recorrentes ao construtivismo com base ao referencial teórico de autores renomados como: Becker (1993); Kamii (1992); Libâneo (1996); Saviani (1991); Weisz (2004); Luckesi (1995); Freire (1985); pesquisadores da Educação. O construtivismo tem como foco principal, as possibilidades de relação do indivíduo com o mundo e com os outros, para sua própria constituição e formação. Sendo assim, o docente que adota esta concepção de ensino fundamentam-se nas vivências do aluno, respeitando as suas individualidades para a sua construção do conhecimento. A pesquisa aponta que a concepção estudada é muito importante por valorizar o educando na construção do conhecimento, porém, os professores estão deixando de trabalhar, até mesmo por exigência dos pais que não entendem o tempo de aprendizado de seu filho, cobrando quantidade de conteúdos trabalhados, e desta forma, a escola retorna a concepção conservadora.

Palavras-chave: Educação Construtiva, Concepção de Ensino, Trabalho Docente.

Leia mais: Educação Construtiva: o Olhar do Docente em Relação a esta Concepção de Ensino

Resumo: Neste estudo realizou-se uma revisão sistemática de literatura sobre o tema “Dificuldades de Aprendizagem em Crianças Acolhidas Institucionalmente”, tendo-se em vista a multiplicidade de estudos sobre crianças abrigadas sem correlações com essa temática. O objetivo desta revisão foi verificar o que relatam as publicações científicas sobre a relação entre o acolhimento institucional e as dificuldades de aprendizagem. A seleção de artigos foi conduzida junto às bases de dados: Scientific Electronic Library Online (SciELO), Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), Periódicos Eletrônicos em Psicologia (PepSIC) e Periódicos CAPES). Foram identificadas quatro publicações científicas que atenderam aos critérios de inclusão estabelecidos. A partir destes achados verificou-se que os estudos relatam uma possível relação estabelecida entre a criança institucionalizada e a dificuldade de aprendizagem, sendo que sintomas depressivos motivados pelo afastamento da família podem estar interligados ao baixo desempenho escolar. As concluir, esta revisão evidenciou a necessidade de ampliação em estudos que foquem a atenção para as dificuldades de aprendizagem em crianças acolhidas institucionalmente.

Palavras-chave: Dificuldades de aprendizagem, Crianças, Instituição.

Leia mais: A Infância Institucionalizada e as Dificuldades de Aprendizagem: uma Revisão de Literatura



Resumo: O termo jovem costuma ser utilizado para designar a pessoa entre 15 e 29 anos. Assim, podem ser considerados jovens os adolescentes-jovens (entre 15 e 17 anos), os jovens-jovens (com idade entre 18 e 24 anos) e os jovens adultos (faixa-etária dos 25 aos 29 anos). A juventude só poderia ser entendida na sua articulação com os processos sociais mais gerais e na sua inserção no conjunto das relações sociais produzidas ao longo da história. O consumo desempenha hoje um papel central na vida dos jovens, uma vez que estes usam os padrões de consumo para definir a sua identidade e para integrar-se nos diversos grupos sociais. O consumo não é apenas um ato econômico, é, também, um ato social que reflete hábitos, costumes sistemas de valores, etc. São muito os fatores que influenciam o consumo. Estes fatores podem ser econômicos e sociais. A mídia trabalha para que a sua produção de imagens chegue ao indivíduo de maneira que legitime e afirme não só o consumo, mas também os modos de sociabilidade - uma espécie de orientação sobre como viver e se relacionar em sociedade nelas inseridos. Sabe-se que a mídia em geral tem um papel importante no comportamento de consumo das pessoas e o poder que ela tem de influenciar a massa, muda hábitos de consumo, cria novos públicos, novos ídolos, novos produtos e de um dia para outro pode acabar com tudo isso, criando uma situação totalmente diferente da anterior. Para isso, a mídia ensina o que, onde, quando e como consumir. A força da mídia parece ser incontestável e, com isso, sua presença no cotidiano ganha "raízes". E é essa força que parece estar escrevendo as linhas da história da nossa sociedade. Essa pesquisa construiu-se a partir de pesquisas bibliográficas, se propondo como objetivo geral, relatar como é dado o consumo na juventude, tendo como principal influenciador os meios midiáticos. Conclui-se que a mídia tem um papel importante no cotidiano dos jovens, exercendo grande influência no comportamento de consumo destes.

Palavras-chave: Consumo, Juventude, Mídia, Desenvolvimento Humano.

Leia mais: Juventude e Consumo: A Influência Exacerbada da Mídia

Resumo: A partir de uma pesquisa feita com jovens de 12 anos de classe média-alta da cidade de São Paulo para uma dissertação de mestrado, concluí que, na atualidade, parece haver uma falta de sincronicidade entre aspectos biológicos, psicológicos e sociais no início da adolescência feminina. A puberdade chega cada vez mais cedo, modificando o corpo rapidamente, mas as mudanças emocionais não avançam na mesma rapidez que as físicas. Frente às pressões internas, biológicas, que ocorrem cada vez mais cedo, e as pressões externas, sociais, que traduzem-se, entre outros fatores, por uma valorização exacerbada da sexualidade e da aparência na sociedade contemporânea, as adolescentes parecem estar vivendo um momento de muita fragilidade, baixa auto-estima e solidão.

Palavras-chave: Desenvolvimento Humano, Adolescência, Feminilidade.

Leia mais: Os Descompassos da Adolescência Feminina

Resumo: Este trabalho investigou como a mãe que trabalha percebe a sua ausência na relação com os filhos, quais seus sentimentos, suas crenças e alternativas para lidar com a situação. Foi utilizado como método de coleta de dados uma entrevista e um questionário. Participaram da pesquisa 11 mães que exerciam atividade remunerada com vínculo empregatício numa clinica cardiológica. Com a entrada da mulher no mercado de trabalho se estabeleceu a necessidade de conciliação da maternidade com as atividades profissionais, gerando a ausência da mãe na rotina do filho e a necessidade de lidar com sentimentos decorrentes desta situação. Os dados demonstraram, sentimentos como culpa e ansiedade em algumas mães, enquanto outras conseguem lidar com maior facilidade com a situação. Constatou-se que, mesmo sendo difícil para algumas mães ficar longe do filho a maioria não se dedicaria somente à maternidade, caso tivesse esta opção. Verificou-se que, do trabalho emerge um sentido de realização, bem como de necessidade financeira, mas o foco dessas mães está em conciliar trabalho e maternidade, pois considera que uma esfera não interfere na outra, mas que favorece o desenvolvimento de habilidades que não possuíam antes de ter um filho, o que possibilita a percepção de que neste cenário, o trabalho e a maternidade são entendidos como complementares.

Palavras-chave: Mulher, Trabalho, Maternidade.

Leia mais: Percepção das Mães que Trabalham Sobre o Impacto da sua Ausência na Relação com o Filho

Resumo: O presente trabalho tem como propósito relatar o fenômeno dos lutos fundamentais da adolescência ocidental resgatando um enfoque psicanalítico sobre a temática em pauta e abordando assuntos importantes sobre como esses lutos são vivenciados pelos jovens. A adolescência é uma das fases mais complexas do homem, etapa que é marcada por um período de incertezas onde o jovem carrega consigo a  responsabilidade de  sair desta fase com sua maturidade alicerçada, com postura de adulto. Dentre muitas questões, percebeu-se indispensável ressaltar neste trabalho os quatro tipos lutos fundamentais da juventude: O luto do corpo infantil; luto pela perda da identidade infantil; pelos pais da infância e o luto pela bissexualidade infantil e como estes processos atuam na estrutura do indivíduo preparando-o para a vida adulta. A metodologia utilizada para composição deste é de natureza pura, por método  hipotético-dedutivo, sem finalidades  imediatas e de caráter bibliográfico. O pressuposto para construção desta pesquisa partiu da necessidade de conhecer e entender as dificuldades encontradas nesta etapa de desenvolvimento do homem. Visto os dados apresentados,  considerou-se necessário uma vivência adequada desses processos para o desenvolvimento de um adulto equilibrado, para isso notou-se importante também a presença dos  grupos  de adolescentes  como apoio.

Palavras-chaves: Adolescência, Ocidental,  Lutos.

Leia mais: Uma Percepção Psicanalítica Sobre os Lutos Fundamentais da Adolescência Ocidental

Resumo: Este trabalho teve como objetivo investigar a percepção que a criança tem sobre a própria infância. Os adultos são portas vozes quando se diz respeito à infância, ou seja, a concepção de infância é aprendida a partir das construções feitas pelos adultos, assim muitas vezes as crianças não podem expressar-se, defender-se ou falar sobre si mesmas. Frente a isso, no presente trabalho procurou-se descrever o contexto em que a infância se apresenta nos dias atuais, abordando temas relevantes sobre o universo infantil. Para tanto, utilizou-se como abordagem teórico-metodológica o referencial da Teoria das Representações Socias e como instrumento para coleta de dados, o Procedimento de Desenhos-Estórias com Tema, o qual foi analisado a partir da proposta de Aiello-Vaisberg (1997). Valendo-se da metodologia qualitativa, foram pesquisadas 09 crianças de ambos os sexos, com 05 anos completos de uma escola pública da cidade de Diadema, São Paulo, e a partir dos resultados foram definidas categorias como, rotina, consumo e solidão. Pôde-se observar que a infância está passando por um processo de “reinstitucionalização” como resultado das transformações e das crises que acompanham a segunda modernidade, as quais radicalizaram as condições em que vive o homem moderno, e particularmente a infância. Tal reinstitucionalização, tem como núcleo central a inserção da criança na esfera econômica.

Palavras-chave: Infância, Consumo, Solidão, Representação social.

Leia mais: Desvelando o Ser Infantil: Algumas Características da Criança Contemporânea

Resumo: Um dos graves problemas da saúde pública é o uso de drogas, tanto lícitas quanto ilícitas, esse é mais um fenômeno bastante antigo dentro do contexto histórico da humanidade, o seu alvo atinge toda a sociedade, porem nos últimos anos passou a crescer de maneira significante o contato dos adolescentes com as substancia tóxicas, a partir daí o estudo e aprofundamento da psicologia cresceu abordando referências sobre o tema e interpretando os casos que levam o menor a praticar o uso de drogas, colaborando assim para a prevenção de tal fator.

Palavras-chave: Vício, Droga, Psicologia, Adolescentes, Prevenção.

Leia mais: Vícios: os Adolescentes Frente as Drogas Lícitas e Ilícitas