Artigos com o tema:

Tanatologia

Resumo: O presente artigo trata da importância do entendimento da Tanatologia para atuação com pessoas portadoras do Mal de Alzheimer, quando institucionalizados. Sabe-se que, em uma instituição, o convívio possui um caráter familiar, já que frequentam o mesmo ambiente, por muito tempo. E para que estas relações sejam saudáveis e não conflituosas (embora o Mal de Alzheimer traga a agressividade como um de seus sintomas) é de extrema importância que se desenvolva um trabalho de manutenção da convivência entre os idosos, partindo de uma proposta que se inclua os cuidados paliativos. Desenvolvendo o relacionamento interpessoal nas atividades da vida diária dos moradores da instituição, cria-se condições de disponibilidade para que a sensibilidade e a qualidade possam fazer parte do dia do idoso, valorizando suas potencialidades, proporcionando interação social de forma lúdica e despertando a empatia no idoso.

Palavras-chave: Tanatologia, Mal de Alzheimer, Idoso, Cuidados Paliativos.

Leia mais: Cuidados Paliativos com o Portador do Mal de Alzheimer: uma Proposta de Atuação

Resumo: O presente trabalho visa discorrer sobre a vivência do idoso mediante a aproximação da morte e o contato com a finitude.  Os últimos indicadores sociais registram um aumento de idosos na população e constituem uma preocupação sobre esse público. Porém, a velhice e o envelhecimento são enxergados frequentemente de forma negativa, sendo conferida quase sempre a aproximação da morte. Verificou-se que o modo como o idoso lida com esse fenômeno tem caráter significativo na elaboração e organização do luto antecipatório. Logo, buscou-se abordar a vivência da morte para o idoso sob um olhar de compreensão existencial-fenomenológico, destacando os impactos sobre o seu modo-de-ser em lidar com a morte, o idoso enquanto ser-para-a-morte e a consciência da finitude. Constatou-se a necessidade em desenvolver outros trabalhos referentes à temática, considerando o amplo alcance dessa temática e a percepção de pouco acervo teórico disponível nas bases bibliográficas da Psicologia Existencial-Fenomenológico, dentre as que puderam ser alcançadas.

Palavras-chave: Idoso, Morte, Finitude, Existencial-fenomenológico.

Leia mais: O Idoso Diante da Finitude e a Morte: uma Compreensão Existencial-Fenomenológico sobre a...



Resumo: A morte sempre foi um mistério para todas as civilizações, e cada cultura traz consigo uma série de tentativas de explicar como seria a vida depois da morte. Sendo estas respostas nos dias atuais ainda incertas, os homens temem a chegada dessa hora, além de se deparar com o fato de ter que imaginar-se deixando para traz tudo o que construiu durante toda a vida, deixar a família, os amigos, a própria existência. O que esperar de uma pessoa que se descobre com uma doença que a aproxima desta despedida? Não se tem uma resposta pronta, apenas sabe-se que há ali um ser humano que necessita de acolhimento, de vida plena enquanto despedida.

Palavras-chave: Psicologia, Musicoterapia, Morte, Despedida, Cuidados paliativos.

Leia mais: Música e Cuidados Paliativos: um Trabalho Integrando Psicologia e Musicoterapia no Apoio a...

Resumo: Este estudo teve como objetivo, desvelar a percepção dos pais, em circunstâncias da perda de seu filho inesperadamente e de forma trágica, especificadamente, pais dos jovens que vieram a óbito no incêndio da Boate Kiss, em Santa Maria/RS. Propõe conhecer a experiência vivida pelos familiares, considerando como fator importante para a análise do tema, o tipo de morte e a idade do filho perdido, partindo-se da ideia de uma interrupção dos sonhos, planos e realizações futuras do filho. A amostra constituiu-se de duas famílias que perderam suas filhas na tragédia da Boate Kiss. Metodologicamente, utilizou-se como vertente, uma pesquisa qualitativa com análise de conteúdo de Bardin, tendo como instrumento para coleta de dados, uma entrevista com perguntas semi-estruturadas, onde emergiram cinco categorias de análises: Ruptura de um Ciclo; Revolta; Apoio; Aceitação X Espiritualidade: um (re)pensar estratégico para o fim; A vida que segue. O estudo possibilitou a compreensão que o impacto sofrido pela perda, gera muitos sentimentos de raiva e revolta. Foi possível perceber que, diante da morte, os sentimentos do luto, surgem como uma reação prevista, que exige do enlutado recursos internos e externos, para enfrentar esta situação. Os recursos de enfrentamento para suportar a dor da perda, encontrados pelas famílias pesquisadas, foram: a fé, o apoio social e a religiosidade. Os resultados deste estudo podem contribuir para a importância do trabalho psicológico com pais que perderam seus filhos de forma trágica, no sentido de ajudá-los na reorganização de suas vidas, após a morte do ente querido.

Palavras-chave: Espiritualidade, Filho, Luto, Morte Repentina.

Leia mais: A Morte Está Presente na Vida: Qual a Percepção dos Pais Acerca da Morte Repentina dos Filhos

Resumo: O processo da morte e do morrer, faz parte da realidade humana desde os primórdios de sua existência, e acompanha o indivíduo no seu ciclo vital, deixando seus registros. Entender a vivência dos profissionais de saúde com o processo morte e morrer e suas implicações na percepção de tal fenômeno, é o nosso objetivo principal no referido artigo. Investigar se há mudança na percepção desses profissionais ante o fenômeno em foco, nos instigou a buscar sujeitos atuantes em hospitais, e que lidam diretamente com essa temática. Os profissionais de saúde percebem a morte e o morrer, de forma peculiar, a partir de seu sistema de valores, crenças e através de representações construídas. Entretanto, tornou-se evidente que no exercício da prática profissional em ambientes onde a finitude se faz presente, tais percepções são alteradas, manifestando nesses profissionais uma nova postura.

Palavras-chave: Morte, Morrer, Percepção, Profissionais de saúde.

Leia mais: A Vivência dos Profissionais de Saúde com o Processo Morte e Morrer e suas Implicações na...

Resumo: Este trabalho tem por objetivo apresentar e compreender a influência que os pais exercem na elaboração do luto em crianças na faixa etária de 5 a 6 anos, uma vez que podem facilitar ou complicar este processo. Além disso, procura esclarecer como a criança internaliza o conceito de morte nesta idade de acordo com as capacidades mentais que dispõe. Uma das causas de como a criança reagirá perante este assunto, é a maneira como os pais abordarão o tema, usando de uma linguagem clara e sem metáforas, na qual a criança consiga entender o que realmente aconteceu e compreender desde cedo a morte como algo natural, esclarecendo o quão importante é incluir a criança no processo de luto, deixando-a expressar suas emoções e sentimentos. Para isso, foram utilizados como métodos de pesquisa a revisão bibliográfica e entrevista com uma psicóloga especializada no assunto.

Palavras-chave: Luto infantil, Perdas precoces, Pais, Família, Psicologia.

Leia mais: A Influência dos Pais na Elaboração do Luto em Crianças na Faixa Etária entre 5 e 6 Anos

Título: Profissionais de Corpo e Alma: Aspectos Psicológicos Envolvidos no Vital Processo de Reparação da Justiça, o Dia-a-Dia dos Auxiliares e Médicos Legistas

Resumo: Este artigo teve como objetivo identificar os aspectos psicológicos envolvidos nos procedimentos de trabalho dos auxiliares e médicos legistas, investigando qual a ligação entre os aspectos psicológicos e o equilíbrio emocional, vivenciado por esses profissionais. Busca também observar como os auxiliares e médicos legistas, se posicionam frente à importância do trabalho que desempenham e constatar os fatores que podem auxiliar a reger todo o processo vivido pelos profissionais e juntamente proporcionar o equilíbrio emocional. Foram entrevistados dois auxiliares médicos legais e dois médicos legistas que atuam na região oeste de Santa Catarina. O critério previamente estabelecido foi que estes profissionais tivessem envolvimento cotidianamente com o IML (Instituto Médico Legal) e juntamente, experiências vivenciadas nessa profissão de extrema responsabilidade. Metodologicamente, foi utilizada a pesquisa qualitativa com análise de conteúdo de Bardin, tendo como instrumento para a coleta de dados uma entrevista semi-estruturada, elaborada a partir dos interesses da investigação, bem como, a partir da leitura do referencial teórico. A partir da análise dos relatos dos participantes pode-se perceber que o profissionalismo está em primeiro plano em todas as situações que cotidianamente são presenciadas por eles, porém o aspecto emocional está diretamente ligado com o enfrentamento que esses profissionais desenvolvem ao longo dos dias. Eles destacam a importância de estratégias para que possam manter-se emocionalmente bem.

Palavras-chave: Auxiliares e Médicos Legistas. Equilíbrio Emocional. Morte.

Leia mais: Profissionais de Corpo e Alma: Aspectos Psicológicos Envolvidos no Vital Processo de Reparação da...

Resumo: Este trabalho tem como objetivo através de uma breve análise sobre a frequência e a intensidade do medo da morte em pacientes com câncer trazidos através da literatura, entender os processos de enfrentamento e suas características psicológicas individuais. Buscar conhecimento junto à psico-oncologia no sentido de adquirir maior qualificação e preparo teórico emocional para lidar com a morte e o paciente na eminência da morte, sem com isto neutralizar ou mecanizar meus próprios sentimentos frente a todo este contexto.

Palavras-chave: câncer, medo, morte, psico-oncologia

Leia mais: As Várias Faces da Morte para o Paciente com Diagnóstico de Câncer