Artigos com o tema:

Psicologia Clínica

0                     Avalie este Artigo:

Resumo: O artigo faz uma introdução da compreensão dos sonhos dentro da psicologia, trazendo o mais fundamental dos importantes autores do campo. No intuito de criar uma possível síntese do essencial de suas contribuições para a atualidade.

Palavras-chave: Sonhos, Psicanálise, Existencialismo, Neurociência

Continue lendo: A Compreensão dos Sonhos

0                     Avalie este Artigo:

Resumo: O homem encontrou apoio além de respostas para suas angústias emocionais na religião e desta tríade mundo/alma/religião desabrocha naturalmente a questão psico-religiosa humana em todo o tempo, pois a angústia da certeza de finitude o impulsiona a ir em busca de compreender o que vem depois da morte. Do ponto de vista científico, há preocupação em mensurar a produção em diferentes áreas do conhecimento para aferir pontos de interesse ou falhas no seu desenvolvimento. O objetivo deste trabalho foi analisar os resumos das publicações científicas referentes à psicologia e religiosidade, com o intuito de saber como se dá o interesse do profissional da Psicologia em aprofundar-se no tema e, eventualmente, seu manejo em atendimentos de pessoas religiosas. Foram levantados os resumos das publicações nacionais nas bases de dados LILAC’S e SciELO por meio das palavras-chave ‘psicologia e religiosidade’ e ‘psicoterapia e religiosidade’ obtendo um total de 92 artigos e analisadas as seguintes variáveis: a) Ano de publicação; b) Natureza do artigo e número de autores; c) Periódicos de origem e d) Temática. Observou-se maior frequência de publicação nos anos de 2007 e 2008 (ambos com um total de 14 artigos que correspondem a 15,2% do total), com queda na produção a partir dai. Predominam artigos de pesquisa com 78 trabalhos (84%), elaborados por múltiplos autores em 64 artigos (70%). Houve trabalhos nas áreas da Psicologia, Medicina e Enfermagem com destaque para os seguintes periódicos: Psicologia Argumento (N= 38; 14%) e Revista Brasileira de Enfermagem (N=10; 50%). Dentre as 16 temáticas identificadas, as três principais estão voltadas para entender como as pessoas fazem uso da religiosidade como forma de enfrentamento quando estão enfermas bem como a família e o sujeito cuidador; a influência da religiosidade na constituição familiar; e, por fim, a frequência religiosa dos pacientes como um fator de proteção em relação à saúde física e mental e a conexão entre a religiosidade e o perfil psicopatológico do paciente. De 1986 a 2005 houve poucos trabalhos com grande amplitude de temas e a partir de 2006 houve maior número de artigos com menores variações temáticas, pois de 61 trabalhos publicados nestes anos, 25 (40,9%) estão agrupadas entre os três temas principais. Sugere-se, então, verificar o motivo pelo qual ocorreu um aumento significativo na produção científica relacionada ao tema durante os anos de 2007 e 2008 e por que este interesse parece estar caindo atualmente.

Palavras-chave: Atendimento psicológico, religiosidade, cientometria.

Continue lendo: Psicologia e Religiosidade: 26 Anos de Produção Científica Nacional

3.5                     Avalie este Artigo:

Falar de uma maneira geral das contribuições das abordagens fenomenológicas, humanistas e existenciais à psicoterapia é uma atividade complexa, tal a diversidade de teorias advindas dessas. Este texto buscará falar apenas de maneira superficial destas filosofias e apresentará a base de sua contribuição à psicoterapia.

Continue lendo: As Contribuições Humanistas, Fenomenológicas e Existenciais à Pratica da Psicoterapia

3.5                     Avalie este Artigo:

Resumo: O presente artigo teve como objetivo os sentidos de identidade construídos pela criança com obesidade, á luz de perspectivas da Psicologia para se compreender que tipo de intervenção se oferece à população, como se estabelecem as relações família/escola ao lidar com a problemática da obesidade infantil e suas contribuições para a elaboração dessa situação. Para tanto, a pesquisa visou estabelecer possíveis interfaces entre as crianças e os meios midiáticos na construção subjetiva de condutas e formas de viver, problematizando o que atualmente ocorre nas escolas, no que diz respeito, a implicação dos alimentos no desenvolvimento das crianças.

Palavras-chave: Obesidade, Mídia, Psicologia.

Continue lendo: Obesidade Infantil: Fatores Psicossociais

5                     Avalie este Artigo:

Resumo: Na perspectiva psicanalítica, onde se enfatiza a dimensão da subjetividade, concebe-se que uma verdadeira relação de objeto se estabelece quando a criança se arranja bem com a alternância da presença-ausência da mãe, elemento este fundamental para a aquisição da consciência do eu e do não-eu. No caso de autismo infantil, compreendido como uma falha no processo de subjetivação, esta consciência do eu e do não-eu está comprometida. Esta pesquisa tem como objetivo investigar a significação dos objetos autísticos e transicionais no processo de subjetivação destas crianças submetidas ao acompanhamento psicológico e os efeitos de seus desdobramentos na relação transferencial com o terapeuta, visto que estes objetos fornecem indícios sobre a elaboração (ou não) do processo de separação-individuação da criança frente à mãe. Foi realizada uma pesquisa empírica em torno desta temática, tomando como referencial teórico a psicanálise, na qual foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com psicólogos e/ou psicanalistas que atuam na clínica do autismo. A partir desta coleta, os dados foram analisados em termos de seu conteúdo em quatro subtópicos: como as crianças usam os objetos; objetos autísticos; objetos transicionais e a migração do uso de objetos de uma forma autística para uma forma transicional. Concluiu-se que é possivel apontar avanços no quadro clínico destas crianças em decorrência do processo terapêutico, que podem se revelar em uma maior abertura ao outro e no uso simbólico e funcional destes objetos.

Palavras-chave: autismo, objeto autístico e transicional, psicanálise.

Continue lendo: Como Podemos Situar os Objetos Autísticos e Transicionais na Clínica do Autismo?

5                     Avalie este Artigo:

Resumo: O presente trabalho apresenta um estudo que tem o objetivo de investigar como se ajusta criativamente a criança que é educada pelos avós, como a mesma vivencia essa experiência e como se inter-relaciona no mundo. Para isto foi feita uma análise exploratória para obter mais informações sobre o tema e foi constatado que se a relação for cuidadosa e amorosa a criança pode se ajustar de forma saudável, se for ao contrário, não houver aceitação da nova relação a mesma pode realizar ajustamentos criativos disfuncionais que podem gerar conflitos e sofrimentos para todos os membros.

Palavras-Chave: Criança, desenvolvimento, ajustamento criativo, família, papéis familiares, relação intergeracional.

Continue lendo: O Ajustamento Criativo Infantil em Crianças Educadas por Avós

3.6                     Avalie este Artigo:

Resumo: este trabalho foi realizado através de uma revisão da literatura constituída por livros e artigos, abordando a violência doméstica infantil existente na raça humana desde os tempos mais remotos. A violência doméstica é um conjunto de atitudes agressivas do ser humano contra outro ser humano, seja pela força física ou não. A violência doméstica é acima de tudo uma relação desigual de poder, onde o mais forte subjuga e abusa do mais fraco. Torna-se importante o conhecimento do que venha a ser a violência doméstica, como fenômeno protegido por um muro de silêncio e suas possíveis consequências. A pesquisa tem como objetivo aprimorar ideias e proporcionar maior familiaridade com o problema, relatando o histórico das práticas da violência doméstica na infância, como também definir diferentes tipos de violência, especificamente buscando compreender esse fenômeno, e o impacto que este causa no desenvolvimento da psiquê do sujeito agredido, enfatizando o papel do psicólogo na problemática.

Palavras-chave: Infância, Violência Doméstica, Agressor, Sobrevivência Emocional.

Continue lendo: Violência Doméstica Infantil

3.5111111111111                     Avalie este Artigo:

Resumo: A cliente, que chamarei de Amanda chegou à terapia queixando-se de crises de ansiedade, compostas de ataques de pânico, sudorese e pensamentos de morte. Observou-se também ao longo do processo psicoterápico, baixa auto- estima, falta de repertório de auto-observação e tatos descritivos. No presente artigo haverá a descrição das hipóteses, intervenções e resultados alcançados. Tendo inicio intervenções focadas nas crises de ansiedade devido à hipótese de Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) e posteriormente intervenções focadas para o desenvolvimento de novos repertórios comportamentais, com ênfase na relação terapêutica, como método de intervenção, tendo como resultados aumento do repertório de auto-observação e tatos descritivos.

Palavras-chave: terapia analítico comportamental, auto-observação, tatos descritivos, relação terapêutica.

Continue lendo: A Relação Terapêutica Como Forma de Intervenção