Artigos com o tema:

Políticas Públicas

Resumo: Nos últimos anos o Brasil encontra-se nas estatísticas como um dos países de maior consumo de drogas e entorpecentes. O uso de drogas atualmente é considerado um grande e complexo problema de saúde pública que têm acarretados sérios danos para a sociedade. Sendo assim, essa revisão mostra a necessidade de envolver as famílias nas políticas de redução de danos buscando ampliar as discussões sobre a promoção em saúde voltada para o viés educativo, orientando e ensinado as mesmas sobre a sua coparticipação de promover e prevenir a saúde. A pesquisa de caráter bibliográfica foi desenvolvida mediante busca eletrônica de artigos indexados na base de dados do Scielo, privilegiando os periódicos que tratam de temas relacionados ao uso de drogas e entorpecentes, Conclui-se a necessidade em trabalhar caminhos alternativos que contribuam para a implementação de políticas públicas sobre a questão da drogadição, o que implica num modelo mais definido de prevenção, recursos para o tamanho da tarefa, e um sistema de avaliação sistemático para monitorar esse comportamento nas nossas famílias.

Palavras-chave: Drogadição, Redução de Danos, Promoção em Saúde.

Leia mais: Da Dependência à Promoção de Saúde: as Políticas de Redução de Danos e a Estratégia de Incluir a...

1. Introdução

Neste texto serão abordadas questões referentes ao direito do idoso, aspectos psicossociais e culturais, que envolvem esta fase da vida do indivíduo. Trata-se de um estudo bibliográfico, em que foram analisados trabalhos publicados por outros autores.

Leia mais: Qualidade de Vida do Idoso: uma Questão de Direito



Resumo: A  creche é um universo promotor da construção de uma rede de cuidados que abrange toda a família. Desenvolve um papel importante com as crianças de acolhimento e educação, conseguindo transpassar o sentido da vida e do sentimento mostrando um mundo de novas experiências, o que possibilita a ampliação de horizontes. A proposta para se trabalhar com crianças na creche, tem como parâmetros, conhecer seus interesses e necessidades, saber um pouco da história, de cada um, conhecer a família, as características de sua faixa etária, a fase de desenvolvimento em que se encontra, além de considerar o tempo de permanência na escola. Portanto, é um trabalho que apresenta preocupação com os cuidados básicos e fundamentais, a uma vida saudável. Assim, considera-se o cuidar de forma ampla onde as necessidades devem ser o eixo norteador do atendimento, pois é por meio da observação que se pode ter uma visão do como educar. O objetivo desse estudo foi analisar o papel fundamental do cuidar e do educar de crianças em creches. A metodologia engloba a pesquisa bibliográfica com busca em livros e artigos que versam sobre a temática em questão. Utilizou-se ainda a pesquisa descritiva que analisa e descreve os fatos. Os resultados indicaram que: o cuidar e o educar são essenciais no desenvolvimento cognitivo, afetivo, físico e linguístico da criança; que todas as situações diárias na creche são atos educativos, pois as brincadeiras, os jogos, as atividades dirigidas, enfim, as rotinas diárias devem buscar autonomia e a formação da identidade, a construção de hábitos saudáveis, e tudo isso, é cuidar e educar as crianças em creches para a vida.

Palavras-chave: Educação Infantil, Creches, Cuidados, Educação.

Leia mais: Crianças em Creche: um espaço onde o cuidar e o educar caminham juntos

Resumo. Este trabalho objetivou fomentar a reflexão sobre políticas públicas, ensino superior e a valorização do profissional de Psicologia. Buscou-se encorajar a interação entre a universidade e a comunidade, visando à conscientização da população sobre a importância do Psicólogo na manutenção da saúde mental dos indivíduos. Concluiu-se que não é somente do Estado a obrigação de conscientizar a população da importância do profissional de Psicologia, é de toda a categoria profissional de Psicólogos este compromisso, o que implica repensar o papel político do Psicólogo na sociedade e sua atuação mais ostensiva na propositura e acompanhamento de políticas públicas estatais.

Palavras-chave: universidade, saúde mental, comunidade.

Leia mais: Políticas Públicas, Ensino Superior e a Valorização da Profissão de Psicólogo

Resumo: O exposto trabalho explana sobre a atuação do psicólogo no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), da cidade de Sobral – Ceará. Pode-se perceber, a gama de intervenções e problemáticas que podem ser levantadas e trabalhadas  pelo  profissional  psicólogo  nessa  organização.  E  que  a  presença  da categoria "psicologia" nessa política social é de suma importância, para construir junto aos sujeitos-usuários, às instâncias gestoras superiores e a toda equipe, em prol de um serviço de qualidade, firmando uma atuação transformadora e edificante. O que se enfatiza é explorar mais a atuação do psicólogo na rede de Assistência Social. Que quase sempre se tornou um discurso de forma a segregar ou comparar a atuação do psicólogo com a do assistente social, pedagogo, dentre outros. E apresentar o quanto esse espaço conquistado pela psicologia ao longo de tantas lutas e discussões polêmicas, merece uma maior atenção, maior escuta, maior olhar para um trabalho efetivo especializado. Discutindo sobre esse (novo) lugar no mercado de trabalho, através de autores como Martín-Baró, Marx e Engels, dentre pesquisas/entrevistas com profissionais do CREAS de Sobral.

Palavras-chave: Políticas Públicas, CREAS, Psicologia Social, Proteção Social Especializada.

Leia mais: O Psicólogo no Centro de Referencia Especializado da Assistência Social (CREAS) da Cidade de...

Resumo: O presente trabalho tem como objetivo promover uma reflexão sobre abuso sexual infanto-juvenil, expondo um caso ocorrido na década de 70 no Espírito Santo, que acabou sendo marco na história devido sua brutalidade e impunidade dos agressores. Ao realizar uma análise comparativa da situação com casos de violência infantil até os dias de hoje, foi verificado que crimes sexuais continuaram acontecendo, e de maneira crescente e alarmante, devido à situação de risco e vulnerabilidade de crianças e adolescentes. Também foi verificado que em nenhum outro momento da história, a sociedade esteve tão mobilizada para combater o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes como vem fazendo nessas duas últimas décadas. Por fim, a pesquisa ajudou a identificar que ao longo da história, questões de proteção e bem estar à infância e juventude foram sendo criadas e adaptadas na tentativa de evitar esses tipos de crimes. Foi verificado que a legislação pertinente à proteção da infância e juventude é bastante recente e não evita a ocorrência de casos de abuso infantil; para isso aconteça é necessária uma maior mobilização da sociedade. Torna-se importante que cada vez mais pessoas conheçam e saibam lidar com a situação em questão, denunciando e sendo informada dos fatores protetivos para crianças e adolescentes. Logo, esse trabalho baseou-se em estudos que evidenciaram que, embora os casos de abuso sexual infanto-juvenil tenham raízes históricas e culturais, é possível impedir que eles aconteçam desde que se utilizem técnicas de prevenção, dentre as quais se destaca como primordial: a informação.

Palavras-chave: Psicologia, Abuso Sexual Infantil, 18 de Maio, Prevenção do Abuso infantil, Estatuto da Criança e do Adolescente.

Leia mais: 18 de Maio: o Caso Araceli - O Início do Combate ao Abuso Sexual Infantil

Resumo: O presente trabalho refere-se a busca pela identificação das contigências na formação das representações sociais e da identidade, bem como a linguagem utilizada pelos moradores de rua. A organização social ao qual a pesquisa foi realizada é o Albergue Shalom (Projeto Jesus Meu Abrigo), uma instituição confessional católica. Através dos referenciais teóricos de Ciampa, Silvia Lane, Moscovici, Jacques, Nasio, dentre outros, que abordam questões as questões das representações sociais, identidade e linguagem. Este estudo foi desenvolvido como uma pesquisa etnográfica e de estratégias de observação participante, entrevistas e pesquisas documentais. Como resultado, verificou-se a intrínseca conexão das representações sociais e a construção da identidade destes indivíduos, afetando a comunicação e a auto-imagem, fruto também de um sistema excludente e da estigmatização social.

Palavras-chave: Morador de rua, Representação social, Linguagem, Identidade

Leia mais: Etnografia entre Sujeitos em Situação de Rua

Resumo: A psicologia é a ciência que estuda o homem em todas as suas dimensões e interrelações, evoluindo do ser individual para o coletivo, e, atualmente, está ampliando sua atuação para as políticas públicas. A pesquisa tem como objetivo descrever a inserção do psicólogo no Sistema Único de Saúde - SUS e Sistema Único de Assistência Social - SUAS, na microrregião de Gurupi. Esse estudo se constitui de uma pesquisa documental e apresenta uma abordagem quantitativa. Nessa pesquisa, a aplicação de instrumentos foi viabilizada por contato telefônico, com as atendentes nas Secretarias de Saúde e Assistência Social. Desse modo, a população pesquisada são profissionais/psicólogos, que atuam no âmbito do SUS e SUAS, nos municípios que fazem parte da microrregião de Gurupi, estado do Tocantins, considerada a região sul ilha do bananal. Os resultados apontam que o psicólogo está inserido no SUS e SUAS no mesmo quantitativo de profissionais, porém no SUS estão mais concentrados na cidade de Gurupi. A psicologia é um campo em ascensão, principalmente nas políticas públicas, tornando imprescindível repensarmos as práticas do psicólogo nesses locais.

Palavras-chave: Políticas Públicas, Psicologia da Saúde e Psicologia Social.

Leia mais: Inserção do Psicólogo nas Políticas Públicas de Saúde e Assistência Social na Microrregião de...