Artigos com o tema:

Neuropsicologia

4.5                     Avalie este Artigo:

Resumo: Este artigo consiste numa síntese descritiva e abordagem reflexiva acerca de Demências Frontotemporais, especificamente a Demência Frontal, com elucidação e definição do problema, sinais e sintomas clínicos, exames de confirmação e pistas para uma terapêutica adequada e procura de soluções de melhoria da qualidade de vida para o próprio a curto e a médio prazo. O artigo não deve ser utilizado, jamais, para tecerem hipóteses diagnósticas, muito menos para não-clínicos, nem para levar a conclusões acerca do seu estado de saúde ou de um seu familiar, apenas descreve e dá pistas, numa tentativa de melhor identificar e perceber este tipo de Demência, menos comumente falada. Se por acaso, após ler este artigo ficar com questões sobre a sua saúde ou de um seu familiar, deverá ter calma e consultar um especialista, já que muitos sintomas e sinais são idênticos em várias situações clínicas, além de que há terapêuticas que ajudam a manter a qualidade de vida na grande maioria dos casos, havendo até casos demenciais que podem ser reversíveis (os não degenerativos por ex., provocados por carência extrema de vitamina B12, ou ainda os de origem vascular, sobretudo acidentes isquêmicos). De qualquer forma, apenas um especialista poderá chegar a conclusões diagnósticas, pelo que em caso de dúvida, deverá com tranquilidade consultar um.

Palavras-chave: Demência, Neuropsicologia, Diagnóstico.

Leia mais: A Demência Frontal:  ou o Risco da Perda do Eu e do Outro

4.25                     Avalie este Artigo:

Resumo: Cada vez mais se dá mais importância à reabilitação neuropsicológica e às possíveis intervenções provenientes desta. Desta forma, com este trabalho proponho o enquadramento histórico do conceito reabilitação neuropsicológica e das suas diferentes abordagens. Cosenza, Fuentes e Diniz (2008) escrevem que Alcmão de Crotona, já em 500 a.C, defendia que havia uma relação importante entre o cérebro e os processos mentais. Como em todas as ciências e disciplinas existem sempre divergências teóricas e práticas que levam o individuo a querer descobrir, através de investigação científica, sempre mais. 

Palavras-chave: reabilitação neuropsicológica, intervenções, enquadramento histórico, cérebro, processos mentais, investigação

Leia mais: Reabilitação Neurológica: Enquadramento Histórico, Abordagens Metodológicas e Técnicas de Reabilitação Neuropsicológica


3.6290322580645                     Avalie este Artigo:

Resumo: As emoções interferem (intervém) em nossas ações cotidianamente, dificultam o raciocínio lógico e interferem em nosso aprendizado. Participam, nesta etapa, partes importantes do cérebro que realizam suas funções de acordo com a participação (intervenção) do ambiente, o equilíbrio, mudanças efetivas, estímulos e emoções na promoção do conhecimento. Estabelecer quais partes do cérebro participam deste conjunto de emoções/aprendizagem e quais interferências são salutares para que a criança assimile e acomode seus saberes. O método empregado é fruto da observação “in loco” e de pesquisas bibliográficas de renomados autores. Com isso, pretendemos conhecer os resultados das interferências que o educador pode realizar e quais respostas se obterão, quando associados método cognitivo e práticas psicológicas na promoção do conhecimento.

Palavras-chave: Interferência, Afetividade, Aprendizagem, Cérebro.

Leia mais: A Interferência Emocional na Aprendizagem

4.125                     Avalie este Artigo:

Resumo: O transtorno de humor bipolar (TB) é uma condição psiquiátrica que acarreta grandes prejuízos tanto na vida do paciente como de suas famílias, devido à flutuação do humor, que varia entre fases de mania, hipomania e depressão. A prevalência do TB situa-se em torno de 1,6% da população e seu diagnóstico correto leva em torno de 8 a 9 anos para ser estabelecido, devido à dificuldade em identificar os sintomas que aparecem gradualmente. A neuropsicologia, ciência que investiga a expressão comportamental das disfunções cerebrais, vem contribuindo de modo significativo tanto na compreensão da fisiopatologia da doença quanto na identificação de perfis neuropsicológicos distintos nas diferentes fases da doença. Estudos neuropsicológicos revelam que vários domínios cognitivos mostram-se afetados no TB, alguns persistindo mesmo após a remissão dos sintomas. Nesse sentido, o presente artigo objetiva realizar uma revisão não sistemática da literatura atual sobre o TB, ressaltando o papel da neuropsicologia em identificar as disfunções cognitivas presentes no TB e de que modo interferem na adaptação psicossocial desses indivíduos. A pesquisa foi realizada no período de janeiro à maio de 2013, através dos descritores Cognição, Diagnóstico, Neuropsicologia, Transtorno Bipolar e avaliação.

Palavras-chave: Cognição, Diagnóstico, Neuropsicologia, Transtorno Bipolar, Avaliação.

Leia mais: Contribuições da Neuropsicologia para a Compreensão do Transtorno Bipolar em Adultos

4.375                     Avalie este Artigo:

Resumo: O presente artigo intitulado: As bases biológicas do medo: uma revisão sistemática da literatura tem o intuito de analisar os processos biológicos sistematizados no âmbito do sistema límbico, discutido e analisado pela Fisiologia Humana, tendo em vista a constituição sensitiva da emoção, tal como o medo. Tem-se como objetivo realizar um levantamento bibliográfico sobre as bases biológicas do medo, levando em consideração seus aspectos anatômicos, fisiológicos e neurobiológicos. A presente pesquisa é do tipo qualitativa, descritiva e exploratória. Os procedimentos utilizados para a realização desta pesquisa, consistiu da análise de artigos publicados nas bases de dados Scientific Eletronic Library Online(SciELO), na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e na The Cochrane Library, bem como em livros, dissertações e teses. A análise dos dados se deu a partir de reflexões críticas sobre o material obtido e elaboração de sínteses correlatas ao tema. Em relação às bases biológicas, o medo é classificado, nesta revisão sistemática, como um estado emocional que pode apresentar vertentes como: ansiedade, apreensão, nervosismo, preocupação, consternação, cautela, escrúpulo, inquietação, pavor, susto e terror e como psicopatologia, se caracteriza ainda como fobia e o pânico. Neste sentido, pode-se concluir que a Psicologia tem ganhado cada vez mais espaço nos estudos sobre as bases biológicas do medo na medida em que busca contribuir com espaços investigativos para o desvendamento da mesma, porém, por motivos de estudos reduzidos na área da Psicologia, ainda nos limitamos ao desenvolvimento da Fisiologia, Neurologia e a crescente evolução dos estudos psicofisiológicos, para, assim, discutirmos significativamente na condução de uma etiologia mais específica, possibilidades de intervenções em casos específicos e prevenção de ocorrências.

Palavras-Chave: Medo, Psicofisiologia, Fisiologia do Medo.

Leia mais: As Bases Biológicas do Medo: uma Revisão Sistemática da Literatura

4.0833333333333                     Avalie este Artigo:

Resumo: No presente artigo contemplaremos a reabilitação neuropsicológica em lesão cerebral, buscando conhecer quais mecanismos podem ser utilizados em função da restituição cerebral do indivíduo. O cérebro é um órgão dinâmico que se acomoda diariamente a novas informações e instruções que lhe chegam constantemente e em virtudes dessas características torna-se possível a reabilitação cerebral. Nosso objetivo é discutir sobre os mecanismos envolvidos no processo de reabilitação e Identificar aspectos considerados importantes nesse processo. Para a obtenção desses dados foram feitas pesquisas por meio bibliográficos e eletrônicos. A percepção desses pacientes a partir de um conjunto, abrangendo toda a diversidade do ser, é fundamental para a neurologia, neuropsicológica e para a psicologia, para que dessa forma às necessidades sejam atendidas e reorganizadas e esse paciente retome sua vida fazendo ou buscando fazer suas atividades triviais novamente.

Palavras-Chave: neuro-psicológia, Lesão cerebral, Reabilitação neuropsicológica, Neuropsicologia.

Leia mais: Reabilitação Neuropsicológica em Lesão Cerebral Adquirida

4.8333333333333                     Avalie este Artigo:

Resumo: Atualmente, um campo da psicologia que vem ganhando destaque envolve as atividades realizadas por “cuidadores”, que são pessoas que assumem a responsabilidade de cuidar de idosos ou portadores de necessidades especiais, podendo este tipo de trabalho ser voluntário, envolvendo ou não membros da própria família. Este presente estudo origina-se de uma pesquisa realizada com cuidadores de idosos familiares. O objetivo da presente pesquisa é apurar as principais dificuldades e causas de stress da profissão. Para tanto, utilizou-se a entrevista aberta com trinta profissionais, como instrumento para a coleta dos dados. Os resultados revelaram que a falta de compreensão das alterações, tanto orgânica quanto psicológica, sofridas pelo idoso fazem surgir um ambiente de estresse. Alguns dos cuidadores preferem se capacitar para estar trabalhando com idosos, pois podem estar os socorrendo em eventuais imprevistos enquanto que outros acham complicados demais, pois a ausência da família causa tristeza nos idosos. Nesse sentido, conclui-se que esses profissionais, desde que devidamente qualificados, são fundamentais na tarefa de proporcionar um envelhecimento mais saudável, pois durante o processo de envelhecimento os idosos necessitam da atenção dos familiares por perto e a maioria dos idosos experimenta alguma fragilidade nessa fase da vida, vindo a precisar de ajuda.

Palavras-chave: Cuidadores, envelhecimento, dificuldade.

Leia mais: Causas de Stress em Profissionais Cuidadores de Idosos no Amazonas

4.4090909090909                     Avalie este Artigo:

Resumo: O conceito de plasticidade não é único, embora seja antigo na literatura científica, não existe teoria unificadora dos fenômenos neuroplásticos, as abordagens experimentais são múltiplas e os resultados muitas vezes conflitantes. Pode-se considerá-la como a tendência do sistema nervoso a ajustar-se perante influências ambientais durante o desenvolvimento, e estabelecer ou restaurar funções desorganizadas por condições patológicas ou experimentais.
Palavras-Chave: conceito, plasticidade, neuroplásticos, sistema nervoso, desenvolvimento, patológicas e experimentais.

Existem hoje em dia vários conceitos sobre a definição de neuroplasticidade humana, desta forma, percebe-se o vínculo dos fenômenos plásticos com o desenvolvimento ontogenético do sistema nervoso, assim como a capacidade de resposta compensatória frente a lesões e outras influências externas; daí a neuroplasticidade poder ser encarada sob vários ângulos, dependendo tanto da abordagem experimental que se fizer, como de cada modo concreto de existência e expressão funcional do sistema nervoso.

Leia mais: Neuroplasticidade Humana