5                     Avalie este Artigo:

Resumo: A Síndrome da Alienação Parental trata-se de um distúrbio que surge no contexto de disputa de guarda da criança, tendo como principal característica a campanha difamatória contra um dos genitores por parte da criança. Esse fenômeno resulta de uma espécie de “lavagem cerebral” de um dos genitores e das próprias contribuições da criança dirigidas à difamação do progenitor objetivo dessa campanha. Diante disso, surge a pergunta problema que norteia o presente artigo: quais as consequências e prejuízos psicológicos para a criança envolvida nesse processo? O objetivo deste trabalho resume-se a discutir o impacto da Síndrome da Alienação Parental nas relações familiares e catalogar as possíveis conseqüências da sua instalação no desenvolvimento da criança. O método utilizado é a pesquisa de cunho bibliográfico, qualitativo, de caráter exploratório. A hipótese é que a criança envolvida no processo de alienação parental, do nível mais leve ao severo, sofreria prejuízos na esfera psicossocial, apresentando dificuldades escolares e de socialização, dentre outros aspectos. A relevância dessa discussão consiste em despertar o interesse da área psicológica e psiquiátrica para a eclosão desse problema, ainda pouco discutido por essas esferas.

Palavras-chave: Síndrome da Alienação Parental, Desenvolvimento Infantil, Separação Conjugal.

Leia mais:Síndrome da Alienação Parental e as Consequências para o Desenvolvimento da Criança

3.7083333333333                     Avalie este Artigo:

Resumo: Este artigo é resultante de uma pesquisa bibliográfica, intitulado "Justiça Restaurativa: Da Retribuição à Restauração - Implicações Psicológicas" (Silva e Schmidt, 2008). Em um momento de grande preocupação com os direitos humanos e, considerando a importância e o surgimento de práticas de Justiça Restaurativa (JR), o estudo mencionado acima deu origem a três artigos que buscam contribuir para a discussão em matéria de justiça e sua aplicação. O presente estudo (parte III) discute aspectos psicológicos ligados ao comportamento criminoso e à sua abordagem, considerando o modelo tradicional de justiça e alguns aspectos da emergente JR. Para isso, foram considerados principalmente estudos da área da psicologia, sem deixar de considerar, também, estudos relevantes da área do direito e da sociologia. A pesquisa buscou apontar os estudos sobre o atual sistema de justiça e do sistema prisional, destacando a sua ineficácia para a recuperação, bem como aspectos relacionados com as motivações do agressor, tendo em vista o desenvolvimento da personalidade e os aspectos sociais, como os estereótipos que impedem uma abordagem livre de humilhação.O estudo culmina com um olhar para as possibilidades e necessidades do infrator sob o aspecto psicológico e, sob o aspecto da JR. Em seguida, terminando com uma conclusão com base nesta revisão.

Palavras-Chave: Justiça Restaurativa, Crime, Direitos Humanos, Ofensor, Psicologia, Psicologia Jurídica.

Leia mais:A Justiça Restaurativa - Implicações Psicológicas para o Ofensor

3.5185185185185                     Avalie este Artigo:

Resumo: O infanticídio é assim nomeado por se tratar de um delito onde a própria mãe tira a vida do filho durante o puerpério ou estado puerperal, estando com sua capacidade mental alterada devido ao parto. A abordagem deste tema se torna importante por ser este um assunto polêmico e de difícil caracterização, bem como a possibilidade de comparação de estudos anteriores por meio de revisão bibliográfica. O estado puerperal é considerado pela literatura um estado mental alterado, muitas vezes causador de uma psicose, que envolve vários tipos de delírios culminando na incapacidade de responder pelos próprios atos. A legislação está diretamente ligada a esse assunto por ser esta a responsável por penalizar a mãe que cometeu o crime. Nessas circunstâncias atua de maneira particular em relação ao infanticídio, havendo redução da pena se a mãe for julgada incapaz de responder pelos seus atos.

Palavras-chave: Infanticídio, Psicopatologia, Psicose, Psicologia Jurídica

Leia mais:O Infanticídio Decorrente da Psicose Pós-Parto

3.25                     Avalie este Artigo:

1. Introdução

Quando olhamos para a problemática do abuso sexual infantil (ASI), as pesquisas mostram que, geralmente, o ASI encontra-se associado a outras formas de maus tratos (MEBARAK, MARTÍNEZ, HERRRA e LOZANO; 2010). Partindo deste princípio, o presente trabalho visa correlacionar à negligência como um fator de risco para o ato abusivo em crianças e adolescentes sendo divido em quatro pontos axiais. O primeiro deles se refere a apresentação de conceitos sobre abuso sexual infantil, como se estabelece para a vítima e suas consequências. Em segundo lugar, conceito sobre negligência e suas ramificações serão expostos; terceiro, será feita uma breve correlação de como a negligência pode ser um fator de risco para o acontecimento de um ato abusivo e por fim, serão sugeridas intervenções.

Leia mais:A Negligência como Fator de Risco Para o Abuso Sexual

3.65                     Avalie este Artigo:

Resumo: A família considerada como um sistema, cada membro da família está interligado, quando ocorre a mudança em um membro, afetará mudanças em todos os outros membros. Desta forma, a experiência do divórcio, na vida de um casal, afetará com certeza a homeostase de todos que fazem parte deste sistema. O presente trabalho tem por objetivo estudar e contribuir com os casais que enfrentam o divórcio, entendendo como a atitude e a comunicação desta vivência pode influenciar a vida afetiva dos filhos pequenos. As leituras realizadas permitiram inferir que as alterações afetivas na vida dos filhos provocadas pela vivência do divórcio dos pais são intensas e duradouras, comprometendo seus relacionamentos futuros e demais condições emocionais. Portanto, é fundamental que, a experiência do divórcio seja vivida pelo casal que a enfrenta de forma equilibrada, com maturidade e respeito, para que sejam amenizadas as consequências emocionais desta vivência que pode causar danos à todos, facilitando o enfretamento do sofrimento e das dificuldades que dificultam o processo de adaptação às novas construções familiares.

Palavras-chave: Divórcio, Família, Filho Pequeno.

Leia mais:Os Efeitos do Divórcio na Família com Filhos Pequenos

3.3529411764706                     Avalie este Artigo:

1. Introdução

O presente trabalho visa abordar aspectos relacionados com a problemática da criminalidade na adolescência, concretamente sobre crime passional. Neste caso, ela aborda toda uma visão entre os aspectos ligados a personalidade da vítima e a do agressor.

Neste trabalho, abordaremos situações que envolvem toda uma dinâmica da conduta dos adolescentes e a sua manifestação criminal. E abordaremos os aspectos ligados aos distúrbios de personalidade.

Leia mais:A Adolescência e a Criminalidade: Crime Passional

5                     Avalie este Artigo:

Resumo: O que a sociedade nos oferece para que estejamos sempre findos em nosso desejo, porém ao mesmo tempo estamos sempre à procura de algo que nos sacie? Somos nós os perversos ou a sociedade nos obriga a tal conduta? O que procuramos nas relações on-line que não encontramos nas relações sociais, naturais ou cara-a-cara? Quem os predadores, agressores sociais e sexuais que estão à espreita esperando o próximo click dado por uma criança desavisada, desestruturada ou mesmo carente de normas e leis? Este sujeito é o pedófilo que agora encontrara na internet ou meio obscuro, torpe, frio e perverso para atrair, assediar e molestar suas vítimas que, muitas das vezes não compreendem o perigo a que estão se submetendo ao aceitar e compartilha sua vida social, familiar e, até mesmo, íntima nas redes sociais. Evidenciaremos no decorrer do texto que não pretendemos esgotar as questões levantadas acerca do comportamento tanto das vítimas quanto de seus algozes, tampouco oferecer chavões ou receitas para tal problemática que perpassa questões Éticas, sociais, técnicas cujo fórum social, antropológico, psicológico e psicanalítico a que está intrínseco. A pedofilia na internet é uma realidade em nossa sociedade e merece ser discutida sob o crivo da razão tanto para que seja de fato compreendida, desmitificada para tanto combatê-la com mais eficácia. Nosso interesse será analisar o comportamento pedófilo em nossa sociedade: seus fatores preponderantes, suas vicissitudes e possíveis soluções para tal comportamento. Tudo à luz da Psicanálise, da Sociologia criminal e Criminologia. O impacto deste comportamento na Internet, suas ações, métodos, recursos para minimiza esse comportamento e possíveis consequência que podem acarretar no comportamento da criança ou adolescente vítima desta agressão.

Palavra-chave: Pedofilia, Internet, agressão sexual, abuso sexual

Leia mais:Pedofilia na Internet

5                     Avalie este Artigo:

O Artigo 1630 do Novo Código Civil (2005) em seu Capítulo V estabelece: “os filhos estão sujeitos ao poder familiar, enquanto menores”. Mais adiante, no Artigo 1634 alínea VII define como competência aos pais o seguinte: “exigir (dos filhos) que lhe prestem obediência, respeito e os serviços próprios de sua idade e condição”.

As leis foram estabelecidas e as normas são divulgadas, mas o caráter privado da família cria em torno de si um escudo de separação social que favorece todos os acontecimentos bons ou ruins em seu interior. Ainda que existam tais determinações a serem seguidas, a família cria suas próprias leis e sua maneira particular de se relacionar.

Leia mais:A Violência Familiar e as Relações de Poder: a diminuição do outro