3.9166666666667                     Avalie este Artigo:

Título completo: As Principais Limitações Biopsicossociais Decorrentes da Insuficiência Renal Crônica, Relatadas por Mulheres na Fase Jovem Adulto, Entre 20 a 40 Anos, que Estão em Tratamento de Hemodiálise no Hospital Philadelfia de Teófilo Otoni - MG

Resumo: Este artigo foi baseado em um Trabalho de Conclusão de Curso, inserido na área da Psicologia Hospitalar e resultado de uma pesquisa, que objetivou verificar as principais limitações biopsicossociais decorrentes da Insuficiência Renal Crônica relatadas por mulheres na fase jovem adulto (20 a 40 anos), que estão submetidas ao tratamento de hemodiálise no Hospital Philadelfia da cidade de Teófilo Otoni – MG. A partir dos temas “Insuficiência Renal Crônica”, “Hemodiálise”, “Fase jovem adulto”, “Limitações biopsicossociais de pacientes com Insuficiência Renal Crônica” e “Atuação do psicólogo na hemodiálise”, fez-se um levantamento teórico para a compreensão do fenômeno estudado. A pesquisa teve caráter descritivo, de abordagem qualitativa e utilizou como instrumento a entrevista semi estruturada. Os dados obtidos foram analisados e demonstraram que a Insuficiência Renal Crônica ocasiona diversas limitações tais como na disposição física, no trabalho, no lazer e consequentemente alterações emocionais que interferem na fase jovem adulto destas mulheres. Este trabalho tratou-se de um esforço para contribuir na atuação do psicólogo frente às questões relatadas pelas pacientes.

Palavras-chave: Insuficiência Renal Crônica, Hemodiálise, limitações biopsicossociais.

Leia mais:As Principais Limitações Biopsicossociais Decorrentes da Insuficiência Renal Crônica

3.4736842105263                     Avalie este Artigo:

Resumo: O conceito de Qualidade de Vida é usado para medir as condições de vida de um ser humano, já a palavra vulnerabilidade refere-se à chance das pessoas estarem expostas ao adoecer. Objetivou-se analisar possíveis relações entre percepção de qualidade de vida e a vulnerabilidade ao estresse no trabalho em enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem que atuam na UTI e no setor de emergência de um hospital público. Utilizou-se o instrumento de qualidade de vida da  Organização Mundial da Saúde, WHOQOL-Bref e a Escala de Vulnerabilidade ao Estresse no Trabalho. Encontrou-se, em relação ao setor de trabalho, diferença  significativa apenas para Qualidade de vida total. Portanto pode-se afirmar que os profissionais que atuam na UTI possuem maior percepção de qualidade de vida quando comparados aos do SUS. Na correlação entre os dois instrumentos, o domínio meio ambiente do WHOQOL-Bref correlacionou-se negativa e significativamente com todos os fatores da EVENT, indicando que a percepção da pessoa em relação aos diversos aspectos do meio em que vive tem relação com a vulnerabilidade ao estresse.

Palavras-chave: enfermagem, hospital, qualidade de vida, estresse.

Leia mais:Avaliação da Qualidade de Vida e Vulnerabilidade ao Estresse no Contexto Hospitalar

3.3823529411765                     Avalie este Artigo:

Resumo: O presente estudo tem como objetivo pesquisar sobre os benefícios da utilização dos recursos expressivos na recuperação de crianças hospitalizadas. A hospitalização é uma experiência estressante, que envolve profunda adaptação da criança às diversas mudanças que ocorrem no seu dia a dia, além de ser uma situação permeada pela elaboração de perdas e lutos, tratamentos invasivos e agressivos. Quando a criança está hospitalizada, é impedida de continuar sua rotina diária e frequentar ambientes estimuladores. Dessa forma, a arteterapia pode ser um facilitador em levar a criança a aderir melhor ao tratamento, adaptar-se as rotinas hospitalares, estimular o seu desenvolvimento saudável e favorecer o equilíbrio emocional, conseguindo assim, amenizar os efeitos negativos causados pela internação e pela doença. Conclui-se então, que a arteterapia constitui-se em um meio de canalizar de maneira positiva, as variáveis do desenvolvimento da criança hospitalizada e neutralizar os fatores de ordem afetiva que, naturalmente, surgem, além de expor potenciais mais saudáveis da criança, por vezes pouco estimulados no contexto da hospitalização

Palavras-chave:Terapia pela arte, criança hospitalizada, comportamento infantil, arteterapia, psicologia hospitalar.

Leia mais:Arteterapia com Crianças Hospitalizadas

3.5892857142857                     Avalie este Artigo:

Resumo: Este estudo tem como objetivo compreender a importância do acompanhante para o paciente hospitalizado através de pesquisas bibliográficas, refletindo a situação de crise que o sujeito passa no ambiente hospitalar e como o acolhimento e a presença do acompanhante/cuidador pode dar um melhor suporte emocional para o mesmo. Observou-se que o vínculo afetivo entre acompanhante e paciente além de promover melhor qualidade de vida a este, ainda favorece a saúde global do paciente em seu processo de hospitalização.

Palavras-Chave: crise, Acolhimento, acompanhante/cuidador.

Leia mais:O Acompanhante no Processo de Hospitalização

3.7647058823529                     Avalie este Artigo:

Resumo: O presente artigo tem como objetivo apresentar um estudo a cerca do adoecimento dos profissionais de saúde relacionado com a cronificação do estresse não mediado presente no dia a dia desses profissionais. Assim visou discorrer sobre as principais características dessa Síndrome bem como da importância das relações sociais para a manutenção da saúde psíquica desses profissionais. No trabalho, os profissionais de saúde convivem diariamente com grande demanda de dor e sofrimento, e são submetidos a desgastes emocionais e frustrações constantes, na tentativa de manter a sua integridade e equilíbrio, muitas vezes são forçados a silenciar seu sofrimento e negar os seus conflitos. Porém, diante das crescentes demandas não elaboradas, a estrutura psíquica do sujeito passa a não conter os seus sentimentos, e estes passam a gerar sintomas, e o sujeito passa a conviver com uma grande pressão, “de fora para dentro, e de dentro para fora” continuamente nessa pressão, o estresse aumenta gradativamente, cronificando - se , o que é denominado de Síndrome de Burnout , vale ressaltar que o estresse em si, não desencadeia o Burnout , mas sim o estresse não mediado aliado a condição subjetiva do sujeito de relacionar-se com o meio, com os outros e consigo.

Palavras-chave: Adoecimento Psíquico, Burnout, Profissionais de Saúde, Estresse.

Leia mais:A Sindrome de Burnout em Profissionais de Saúde

4.5                     Avalie este Artigo:

Resumo: O ciclo da vida é constituído pelo nascimento, crescimento, reprodução e morte. Esses eventos são naturais e próprios para a construção da vida humana. Para algumas pessoas esses processos evolutivos não seguem iguais para todos, existe uma especificidade de se colocar diante dos problemas e saber enfrentá-los é a questão primordial. A morte é vista sob diversos contextos cultural, social, familiar e vem para cada um de acordo com sua posição frente ao mundo; o lidar pode estar definido ou causar outros comportamentos adversos. Lidar com a morte é um fenômeno sofrível e algumas pessoas não estão preparadas para esse enfrentamento em questões não definidas.

Palavras-Chave: Morte, Doença, Enfrentamento, Sofrimento Psíquico.

Leia mais:Sobre a Morte e o Morrer

3.5                     Avalie este Artigo:

Resumo: O avanço da medicina trouxe aos pacientes com câncer uma esperança: a possibilidade de cura. Antes estigmatizados pela magnitude da doença, os pacientes com câncer permaneciam isolados do mundo, aceitando a sentença de morte que a eles se proferiram. Mas o panorama do câncer mudou: hoje, através do tratamento e do apoio da família já é possível superar tal enfermidade. Voltando-se à mulher com câncer de colo de útero, ressaltaremos a importância do carinho e o acolhimento da família, fundamental para o enfrentamento da doença.

Palavras-chave: Câncer de colo de útero. Psico-oncologia. Família.

Leia mais:A Importância do Apoio Familiar à Mulher com Câncer de Colo de Útero

4.25                     Avalie este Artigo:

O Que é a Psicologia Hospitalar?

A psicologia hospitalar se propõe em ser uma área de conhecimento que visa fornecer suporte ao sujeito em adoecimento, a fim de que este possa atravessar essa fase com maior resiliência. Nesse sentido, é um campo de entendimento e tratamento dos aspectos biológicos em torno do adoecimento, não somente doenças psicossomáticas, mas todo e qualquer tipo de enfermidade.

Comumente, o processo de adoecimento traz em seu bojo uma desorganização da sua vida, de modo que provoca várias transformações em sua subjetividade, ou seja, o sujeito sai do conforto de seu lar e se depara com a hospitalização, muda seus hábitos, perde sua identidade e, muitas vezes, acaba virando um número de prontuário.

Leia mais:A Psicologia Hospitalar