0                     Avalie este Artigo:

Resumo: O ciúme é um tema que gera muita discussão na população em geral. Ele é um sentimento egoísta onde a pessoa que está acometida desse mal se sente incapaz de obter a atenção da pessoa amada. Neste artigo, foi realizada uma revisão de literatura em outros artigos e livros, além de revistas e sites relacionados ao tema, e será discorrido sobre os três tipos de ciúmes, Normal, o Neurótico e o Delirante (Paranóico). Onde o normal é aquele que ocorre quando a pessoa amada dá motivo para o parceiro sentir ciúmes. O neurótico é aquele cujo o sentimento de angústia é permanente. Aqui o ciumento tem consciência de que seu ciúme é exagerado, mas não consegue se controlar. E o terceiro caso, onde é visto como o mais grave e de maior preocupação, pois é aquele onde o indivíduo fantasia uma possível traição podendo ser agressivo e até mesmo cometer insanidades contra o parceiro. Além disso, falará sobre o ciúme e sua divergência entre Homens e Mulheres; quando o ciúme se torna patológico e necessita de Tratamento Psicológico e/ou Psiquiátrico para uma melhora significativa do quadro; as causas do ciúme e por fim as consequências que este sentimento pode trazer no relacionamento conjugal

Palavras-chave: Ciúmes, Ciúme Patológico, Relacionamentos Conjugais.

Leia mais:O Ciúme: Suas Causas e Consequências nos Relacionamentos Conjugais

3.8888888888889                     Avalie este Artigo:

Resumo: Este trabalho teve como objetivo analisar as buscas da mulher contemporânea pelo corpo perfeito, e como essa imagem corporal, que está no imaginário feminino, vem sendo construída e alimentada através da mídia, influencia na construção da identidade feminina. Muitas são as práticas apresentadas para obtenção deste corpo perfeito, tratando dele como se fosse eterno, havendo, na realidade, uma divinização do mesmo. Desta forma, ser bela se transformou numa questão moral e, com isso, ignora-se toda a história da mulher, genética e/ou a sua condição socioeconômica, como se todas, sem exceção, pudessem alcançar este padrão de beleza socialmente estabelecido. Nessa busca, a mulher tem adoecido de várias formas, algumas, colocando a vida em risco, se utilizando de todos os artifícios, que a medicina e o mundo da estética dispõem com seus resultados imediatos, enquanto outras estão deprimidas, por não terem a condição de utilizar tais recursos.

Palavras-chave: Cultura, Mulher, Beleza, Corpo Ideal, Mídia.

Leia mais:Cultura, Corpo e Subjetividade: a Busca Constante pela Perfeição na Atualidade

3.52                     Avalie este Artigo:

Resumo: Para compreender o significado da sexualidade e a vulnerabilidade dos idosos, a partir dos sessenta anos, o presente trabalho teve a finalidade de abordar sobre a sexualidade na perspectiva do sexo, do amor, da sensualidade, em relação as marcas e preconceitos que a sociedade lhe impõe, com a existência de estereotipo de uma velhice obrigada a ser assexuada. Por ter recebido uma educação rígida, o idoso evita falar do assunto, muitas vezes concorda com o que lhe é imposto, mesmo sabendo e sentindo que não tem fundamento. Essa postura é fruto de uma cultura hierárquica onde transmite que o velho não tem sexualidade, é assexuado. A sexualidade, portanto, para os “garotos maduros” é rodeada de muitas dificuldades. Nessa circunstância falar de amor, de desejo, de sexualidade torna-se algo sem propósito, em razão de uma cultura convencionalista. Com o objetivo de conhecer esse fenômeno de forma teórica, empírica e cognitiva, foi-se a campo pesquisar sobre a intimidade sexual e a sexualidade na terceira idade, na observação de um comportamento que é intrínseco e muito subjetivo. Conclui-se que a sexualidade é muito mais  que sexo, é carinho, afeto, cumplicidade, amor, companheirismo. A pesquisa revela um sexo vivo e uma sexualidade aflorada na terceira idade.

Palavras-chave: amor, sexualidade, envelhecer, desejo.

Leia mais:Sexualidade na Terceira Idade

3.9090909090909                     Avalie este Artigo:

Resumo: A menopausa é um marco biológico na vida da mulher, que representa a transição da fase reprodutiva para não reprodutiva, e pode ocasionar mudanças biopsicossociais nas mulheres que a vivenciam. Esta pesquisa teve como objetivo verificar a relação entre depressão e menopausa em mulheres com idade entre 45 e 65 anos, que estão em atendimento ginecológico em uma unidade de saúde do município de Rolim de Moura- RO. Em relação à metodologia, foi uma pesquisa de campo, descritiva e exploratória com abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada com 19 sujeitos e os instrumentos utilizados para coleta de dados foram o Inventário de Depressão de Beck e um questionário sócio demográfico. Os resultados gerais sobre a incidência de depressão indicaram que (63,17%) das participantes apresentaram depressão, (26,32%) na categoria leve, (26,32%) na categoria moderada e (10,53%) na categoria grave, sendo que pelo menos um dos sintomas característicos de depressão esteve presente em todas as participantes. A elevada prevalência de sintomas depressivos em mulheres na menopausa pode estar associada tanto as alterações hormonais, como também as mudanças sociais que acontecem nesse período.

Palavras-chave: Depressão, Menopausa, Depressão na menopausa.

Leia mais:Relação Entre Depressão e Menopausa em Mulheres na Faixa Etária de 45 A 65 Anos

3.5                     Avalie este Artigo:

Resumo: O Jogo Patológico está classificado como um transtorno do controle do impulso, cuja característica essencial é a falha em resistir a um ato que é prejudicial à pessoa ou aos outros. O presente estudo visou verificar jogadores patológicos na evolução do diagnóstico e problemas enfrentados em sua estrutura familiar, financeira, profissional e social como consequência do comportamento de jogar. A pesquisa foi desenvolvida de forma mista quantitativa e qualitativa. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário com perguntas abertas no qual os participantes puderam descrever suas vivências e relatos de vida como jogadores ou o que o jogo proporcionou a eles. Foram entrevistados 19 participantes, frequentadores do grupo de Jogadores Anônimos de quatro unidades de São Paulo/SP, com histórico de jogo patológico. A amostra foi constituída em maior proporção por homens (n=17), casados, nível superior completo, aposentados. Referente ao tempo sem jogar superior a 7 anos para 42%. A preferência é por jogos eletrônicos. Apresentam problemas relacionados à: descontrole financeiro; as obrigações não são realizadas, como trabalho e estudo devido ao jogo. A motivação inicial aos jogos foi por diversão e curiosidade. Como forma de tratamento estão unicamente nos Jogadores Anônimos. Concluiu-se que o grupo de autoajuda Jogadores Anônimos apresenta respostas satisfatórias quanto ao tempo de abstinência, comportamentos e qualidade de vida. Os resultados sugerem estudos com amostras nos estágios de manutenção pós-tratamento da abstinência com grupos de Jogadores Anônimos e outros modelos terapêuticos.

Palavras-chave: Jogo Patológico, impulsos, Jogadores Anônimos, modelos terapêuticos.

Leia mais:Quando o Jogar se torna Patológico

4.1515151515152                     Avalie este Artigo:

Resumo: Objetiva-se neste trabalho conhecer a conceituação e aplicação da Diagnese (diagnóstico de Anamnese) como abordagem complementar no atendimento de pacientes, a partir da interpretação de sentidos inconscientes em palavras escritas, uma vez que, os sintomas neuróticos são articulações que envolvem significantes. Embora Freud não usasse a Lingüística, admitia o inconsciente como linguagem, fato este que Lacan aprofundou, abordando o inconsciente como estruturado, comparando esta organização a um sistema de signos, como as formações das palavras que aparecem nas combinações do alfabeto. A Diagnese pode ser utilizada como mapeamento do comportamento, como instrumento de interação entre o paciente e o psicólogo, apresentando-se como um modelo psicoterapêutico eficiente em analisar e mapear o comportamento de indivíduos, casais e grupos pela análise das palavras que remetem aos seus inconscientes. Lacan acrescenta em sua obra que os analistas devem incrementar as habilidades de interpretação, tendo a concepção de que o inconsciente se estrutura como linguagem, distribuído de acordo com duas estruturas fundamentais, na metonímia e na metáfora.

Leia mais:Diagnese: Diagnóstico de Anamnese - Mapeamento Comportamental Analítico

4.1395348837209                     Avalie este Artigo:

Resumo: Este estudo trata sobre aspectos psicológicos, sociais e sociodemográficos que influenciam e/ou determinam a relação entre uso/abuso de álcool e suicídio, e a atuação do profissional da psicologia na identificação e tratamento de alcoolistas que apresentam comportamento suicida. O método escolhido para a realização deste estudo fundamentou-se na pesquisa qualitativa, de cunho exploratório, bibliográfico e documental. O estudo verificou que o transtorno por uso de álcool e outras substâncias aumenta significativamente o risco de suicídio e a análise focou como universo de pesquisa a cidade de Lages - SC, onde, entre os anos de 2006-2009, 49 pessoas cometeram o suicídio.Os resultados indicam a atuação do profissional da psicologia na identificação de indivíduos que apresentam comportamento suicida como fundamental para identificar possíveis riscos de outras tentativas de suicídio, e assim desenvolver um plano de intervenção com os recursos psicoterápicos mais utilizados pelos Psicólogos.

Palavras-chave: Alcoolismo, Suicídio, Tratamento psicoterapêutico

Leia mais:Alcoolismo e Suicídio: Causas, Consequencias e Tratamento Psicoterapêutico

3.5                     Avalie este Artigo:

Resumo: A Mediação de Conflitos é uma prática antiga, desde antes de Cristo em diversos países como Grécia, Egito, Babilônia, entre outros. A Colômbia foi o primeiro país da América Latina a iniciar esse trabalho, em 1983. Essa técnica consiste em um procedimento facultativo, requer concordância livre e expressa das partes envolvidas e, portanto, não é imposta, é aceita, decidida e realizada pelo conjunto de protagonistas. Há no Brasil diversos grupos de formação de mediadores, contudo a atividade ainda não é regulamentada como profissão. É empregada em diversas áreas: escolas, organizações, varas de família, etc. Os benefícios psicológicos, emocionais e de convivência obtidos após participarem da mediação são largamente maiores que longas disputas na justiça comum.

Palavras-chave: Mediação, Formação, Psicologia Jurídica, Psicologia Clínica.

Leia mais:Formando um Mediador - da Teoria à Prática: Análise de um Diário de Campo