Carregando o site... O tempo de carregamento depende da sua velocidade de conexão!

3.3333333333333                     Avalie este Artigo:

Donald Woods Winnicott nasceu em sete de abril de 1896, em Plymouth na Inglaterra.  Filho de John Frederick Winnicott e Elizabeth Martha Woods Winnicott. "Donald" é derivado da antiga palavra celta que significa "poderoso, vigoroso"; "Winn", palavra saxônica que possivelmente signifique "amigo"; e de "Cott", "casa" que sugere "estabilidade de vida".

Em 1923, obtém o cargo de médico no hospital Paddington Green Children, em Londres. Neste mesmo ano, começou sua análise pessoal com o Dr. James Strachey, tradutor oficial de inglês, das obras completas de Sigmund Freud. Essas duas experiências, o exercício da pediatria e sua análise pessoal, marcaram de maneira fundamental seu trabalho posterior. 

Em 1927, Winnicott foi aceito para começar sua formação analítica na Sociedad Psicoanalítica Británica. Em 1934, concluía sua formação como analista de adultos e em 1935, como analista de crianças, sendo considerado, por três décadas, um fenômeno isolado, pois nenhum outro analista era pediatra. Quando terminou a Segunda Guerra, Winnicott foi nomeado Diretor do Departamento Infantil do Instituto Psicanalítico da Sociedade Britânica, cargo no qual se manteve por 25 anos. Foi ainda, por dois mandatos consecutivos, Presidente da Sociedade Britânica de Psicanálise. Continuou trabalhando no hospital Paddington Green Children's até os anos 60. 

A partir de 1936, Winnicott começou a ministrar um curso regular sobre crescimento e desenvolvimento humano para professores do Instituto de Educação de Londres, a convite de uma amiga pessoal e colega, a Dra. Susan Isaacs. A partir de 1947, ministrou palestras para estudantes de assistência social na Escola Londrina de Economia e Ciências Políticas. Entre 1940 e 1944 fez supervisão com Melanie Klein.

Winnicott tinha uma boa reputação como conferencista interessante e espontâneo, e a British Broadcasting Corporation (BBC) convidou-o a falar para pais e mães pelo rádio. Entre 1939 e 1962, ele participou de cerca de cinqüenta programas sobre uma enorme gama de assuntos, que variaram desde “a contribuição do pai”, “o filho único”, “a importância de visitar as crianças no hospital”, e “a dinâmica da adoção”, até “a psicologia dos pais adotivos”, “o significado do ciúme” e “as vicissitudes da culpa”. 

Oliveira (2008) destaca que além dessas conversas individuais pelo rádio, Winnicott preparou ainda dois conjuntos completos de palestras. Janet Quigley produziu a primeira série em 1945, no fim da Segunda Guerra Mundial, e essas palestras apareceram posteriormente sob a forma de um panfleto, sob o título de Getting to Know Your Baby, que continha as transcrições de seis programas radiofônicos e era vendido por um shilling. A capa do pequeno folheto mostrava a reprodução de um entalhe em madeira de uma mãe com seu bebê feito por Alice Winnicott. 

Entre 1949 e 1950 foram ao ar pela BBC, várias outras palestras sobre o tema "The Ordinary Devoted Mother". Nove transmissões dessa série foram lançadas no panfleto "The Ordinary Devoted Mother and Her Baby: nine broadcast talks". Essas transmissões atingiram milhões de pessoas.

Winnicott foi presidente do comitê de investigações da Associação Psicanalítica Internacional, que investigou a prática clínica de Jacques Lacan. Em 1953, Winnicott e vários colegas (Phyllis Greenacre, Hedwig Hoffer e Jeanne Lampl-de Groot) entrevistaram diversos membros da instituição de Lacan, a Société Française de Psychanalyse, assim como membros da clássica Société Psychanalytique de Paris, que alegavam que Lacan conduzia sessões de psicanálise mais curtas.

Durante sua vida, Winnicott ocupou vários cargos importantes e recebeu diversas homenagens. Foi presidente da Seção Médica da British Psychological Society, presidente da Seção de Pediatria da Royal Society of Medicine e presidente da Associação para Psicologia e Psiquiatria Infantil. Em 1955, tornou-se também conferencista do Departamento de Desenvolvimento Infantil do Instituto de Educação da Universidade de Londres. Finalmente, em 1968, foi eleito membro honorário da Royal Medico-Psychological Association, e recebeu a cobiçada Medalha James Spence de Pediatria, prêmio que leva o nome de um dos heróis pessoais de Winnicott, o Professor Sir James Spence, ilustre médico de crianças nascido em Newcastle-upon-Tyne, o qual insistia em que as mães e os bebês recém-nascidos não deviam ser separados no momento do nascimento. A Sociedade Psicanalítica Finlandesa também homenageou Winnicott, convidando-o a tornar-se membro honorário. Recebeu, ainda, o título de Cavaleiro das mãos da rainha Elizabeth II. 

Winnicott conduziu palestras na Escócia, em Paris, Roma, Genebra, Copenhagen, Lisboa, Helsinque e Amsterdã. Além disso, fez pelo menos uma conferência no Canadá e um grande número de palestras pelo interior da Inglaterra, para uma grande variedade de organizações. Fez varias viagens aos Estados Unidos da América realizando palestras (em 1962, 1963, 1967 e em novembro de 1968, para falar na Sociedade Psicanalítica de Nova York e em outras instituições).