Artigos com o tema:

Comportamental

5                     Avalie este Artigo:

Resumo: O presente estudo tem como tema central as novas configurações familiares, o vínculo e a relação entre as famílias multiespécies e seus animais de estimação. Em particular, buscou-se compreender o papel que os animais de estimação vêm ocupando no contexto familiar e os motivos de tal relação ganhar cada vez mais espaço e importância na sociedade contemporânea. O estudo se caracteriza pelo delineamento de levantamento, de caráter exploratório, descritivo e análise quantitativa dos dados, utilizando os questionários bio-sócio- demográfico e Pet Attachment Survey. A amostra foi composta por 40 (quarenta) adultos, que possuíam animais de estimação e que fizeram uso, na condição de clientes, de três Pets Shops que comercializam produtos e serviços destinados a animais de pequeno porte. No que diz respeito à amostra, 62,5% dos participantes eram casados, com uma média de 2,1 (DP=1,2) pessoas residindo junto ao entrevistado. A média de animais de estimação por respondente foi de 1,65 (DP=1,1), em que 70% possuíam apenas um animal, em sua maioria (80%) cachorros. Trinta e dois (80%) respondentes indicaram considerar o pet um membro familiar e nenhum deles considera o animal de estimação um incômodo ou um aborrecimento. Ademais, metade dos participantes (50%) afirmou que, entre os membros da família, o animal de estimação é quem mais gosta do respondente. Tais resultados apontam para a vinculação da amostra com seu pet, porém, sem exclusividade de atenção, caracterizando essa relação como uma das dimensões da vida, mas não a única. Constata-se que os animais ganham cada vez mais importância na relação familiar multiespécie, reforçando a ideia de um novo arranjo de família na contemporaneidade.

Palavras-chave: Família multiespécie, Animais de estimação, Vínculo.

Leia mais: Novas Configurações Familiares e Vínculo com os Animais de Estimação Numa Perspectiva de Família Multiespécie

3.875                     Avalie este Artigo:

1. Introdução

Análise do comportamento é uma abordagem psicológica que passou por diversas mudanças com o decorrer do tempo. Tendo em questão vários procedimentos e diversos estudiosos sobre ela, será mostrado a seguir como está ciência chegou a seu estado atual mostrando os principais autores e pesquisadores que deram início a essa nova abordagem psicológica com dados realizados em laboratório.

Leia mais: A Modelagem e o Controle do Comportamento


3.4166666666667                     Avalie este Artigo:

Resumo: Falar a verdade e mentir são comportamentos passíveis de serem reforçados, punidos, extintos e de passar por processos de discriminação, assim como muitos outros comportamentos. O presente artigo relatará o caso clínico de um menino de 13 anos, atendido ao longo do curso de Especialização em Psicologia Clínica Comportamental e Cognitiva da Faculdade Evangélica do Paraná, que frequentemente emitia relatos incompatíveis com a realidade como forma de esquiva de punição e recompensa como atenção dos pais e colegas em sala de aula. Nas sessões de terapia, as intervenções tiveram como objetivos trabalhar a demanda inicial trazida: dificuldade de aprendizagem, dificuldades na interação, social, mentira e indisciplina. Observou-se que na sequência dos atendimentos a frequência de relatos aumentou, cliente passou a descrever verbalmente o que acontecia e que suas respostas ao ambiente eram controladas por reconhecimento social. Acredita-se também que as intervenções realizadas possam facilitar a expressão de sentimentos e preocupações (considerando que a emissão de mentiras funcione como esquiva) e que possam favorecer a ocorrência de relações sociais mais adequadas.

Palavras-chave: Análise do Comportamento, Comportamento verbal, Mentir, Esquiva

Leia mais: Análise Funcional Diagramática: Mentir Como Esquiva de Aversivo

3.53125                     Avalie este Artigo:

Resumo: O artigo em questão trata-se de um trabalho experimental, o mesmo foi realizado no ano de 2013, respaldado na pesquisa realizada no Buss Lab (1992). Fundamentado nos pressupostos da Análise do Comportamento, considerando as contingências filogenéticas, ontogenéticas e culturais. A saber, o ciúme é um evento privado, inacessível à observação pública direta, que sinaliza perdas de consequências reforçadoras para os indivíduos na relação. Contudo as expressões de sentimentos são produtos da comunidade verbal na qual interagimos. Ademais, o ciúme foi selecionado para garantir a sobrevivência, evitando a perda de reforços. O experimento de forma individual com 15 homens e 15 mulheres voluntários entre a faixa etária de 22 a 28 anos, sendo universitários de diferentes cursos. Inicialmente solicitamos que cada participante pensasse sobre uma estória na qual estivesse envolvido num relacionamento romântico sério que tivera no passado, ou que ainda gostaria de ter. Posteriormente o pesquisador foi guiando a estória com traições físicas e emocionais, enquanto outro pesquisador observava seus comportamentos verbais, pressão arterial e batimentos cardíacos, com o uso de um aparelho de monitoramento de pressão arterial digital, gerando gráficos a partir dos dados colhidos para análise posterior. Ao final foi perguntado, em que situação o indivíduo sentia-se mais afetado. Homens e mulheres regiram de forma diferente o que comprovou o experimento realizado anteriormente por Buss.

Palavras-chave: Contingências: Filogênese, Ontogênese e Cultura, Análise do Comportamento, Ciúme romântico.

Leia mais: A Compreensão do Ciúme Romântico Sob o Enfoque Analítico Comportamental

3.6818181818182                     Avalie este Artigo:

Título Completo: Estilos Parentais e as Implicações no Comportamento da Criança de 8 A 12 Anos na Lista de Espera da Clinica Escola da Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal - Rondônia

Resumo: Este estudo examinou a relação entre os estilos parentais e o desenvolvimento do comportamento da criança. Estilo parental é definido como o conjunto das práticas educativas parentais, positivas ou negativas utilizadas pelos cuidadores com objetivo de educar, socializar e controlar o comportamento de seus filhos. Foram coletados dados de crianças de 8 a 12 anos de idade de seus pais e/ou responsáveis, inseridas na lista de espera da Clínica-Escola de Psicologia da FACIMED-Cacoal. A coleta dos dados da presente pesquisa de campo foi realizada por meio de um inventário já validado, chamado Inventário de Estilos Parentais (IEP). O inventário é composto por 42 questões que buscam avaliar a frequência de emissão de comportamentos referentes às práticas parentais utilizadas por pais na relação com seus filhos. Na análise das práticas educativas paternas e maternas dados coletados e analisados apresentaram uma maior prevalência do estilo parental ótimo (50%), regular acima da média (16,66%) e estilos parentais de risco (33,33%). Foi observada uma maior de prevalência das práticas educativas positivas em relação às negativas, nas famílias que participaram da pesquisa.

Palavras-chave: estilos Parentais, práticas educativas parentais, comportamentos.

Leia mais: Estilos Parentais e as Implicações no Comportamento da Criança de 8 A 12 Anos em Cacoal - Rondônia

3.4722222222222                     Avalie este Artigo:

Resumo: O presente artigo aborda a terapia na abordagem analítico-comportamental de uma senhora de 60 anos, que chamaremos de S. A cliente foi atendida inicialmente por uma terapeuta e posteriormente foi realizada co-terapia. S chegou com a queixa inicial de angústia e sofrimento por ter descoberto que o neto seria homossexual. Também se refere a queixas ligadas a falta de habilidades sociais e a auto-regras, como: conflitos familiares, solidão, preocupação excessiva com o que os outros pensam a seu respeito e conflitos religiosos. Neste artigo serão descritas as hipóteses surgidas, as intervenções realizadas e os resultados obtidos. As intervenções basearam-se na FAP (Psicoterapia Analítico Funcional), onde fazíamos pontuações de acordo com os CRB1 (Comportamentos Clinicamente Relevantes) que surgiam em sessão. Alguns resultados observados (CRB2) foram a melhora na escuta e enfrentamento de algumas auto regras.

Palavras chave: Terapia Analítico-Comportamental, Déficit em Habilidades Sociais, Controle por Regras e Auto-Regras, Intervenções Verbais.

Leia mais: A Clínica Analítico-Comportamental: Um estudo de Caso Sobre Auto-Regras e Déficit de Habilidades Sociais

3.42                     Avalie este Artigo:

Resumo: Este artigo sugere uma reflexão teórica acerca da ação do reforço para modelagem e consequentemente socialização do animal pelo homem. A observação de reflexos condicionados envolve os estímulos (reforçamentos) como parte do processo de aprendizagem, onde o desempenho está associado à modelação, pelo incentivo à habituação, onde o comportamento é escolhido, modificando o meio, gerando aprendizagem incluindo a domesticação; dessa forma os cães passam a responder não apenas de acordo com as contingências do meio, mas, preferencialmente, de acordo com aquelas eliciadas pelos humanos, o que explica a disposição dos cães em responder às contingências humanas cujo foco está na indução à estimulação de tarefas envolvendo gestos comunicativos de treinadores, tendo sensibilidade para responder aos controles emitidos de comandos, que gera no homem a realização de um grande número de raças obtidas no controle e manipulação genética, bem como a produção de novas formas de comportamento operante pelo reforço de aproximações sucessivas ao comportamento, numa integração homem-cão, benéfica para a saúde física e saúde mental do ser humano.

Leia mais: Socialização: Reforço e Modelagem

4.425                     Avalie este Artigo:

Resumo: O Transtorno Afetivo Bipolar é uma doença silenciosa que provoca mudanças de comportamentos repentinos, que somente são percebidos quando o quadro se agrava devido ao descontrole provocado pelos episódios de mania e hipomania. A dificuldade de diagnosticar essa doença vem trazendo sérios danos para os pacientes que acabam tendo diagnósticos errados e tomando medicações inadequadas. Contudo, tais mudanças produzem sofrimento não só para esses pacientes, mas também para os seus familiares que estão em contato direto com eles e que são obrigados a conviver com essa nova situação. Este estudo teve como objetivo compreender as implicações provocadas no contexto social e familiar após o diagnóstico de TAB. Participaram do estudo quatro pacientes com idade entre 37 à 54 anos e quatro familiares com idade entre 35 à 77 anos. Ambos responderam uma entrevista sócio-demográfica e uma outra entrevista semi-estruturada abordando como era estabelecida essa relação paciente, familiar e sociedade e como esse familiar e paciente passam a ser vistos pela sociedade após esse diagnóstico de portador de TAB. A análise dos dados colhidos mostra que essas relações acaba trazendo dificuldades de concentração, irritabilidade, agressividade, problemas com as relações interpessoais, dificuldades de desempenhar atividades rotineiras, não só para o paciente mais também para o familiar. Discutindo-se assim, as implicações trazidas por esse diagnóstico nas relações interpessoais no âmbito social e familiar.

Palavras-chave: Transtorno Afetivo Bipolar, relações interpessoais, aspectos emocionais.

Leia mais: Transtorno Afetivo Bipolar: Implicações no Contexto Social e Familiar